Revista dos últimos 15 dias: mascarados e os limites das manifestações, câmbio, juros, esvaziamento da bolha imobiliária, espionagem americana

    26
    0

    Como muita coisa vem acontecendo, vou me utilizar desse expediente interessante e já utilizado outras vezes que é a “Revista” ou “Revisão”. Assim, não aprofundo cada questão, mas não deixo de falar de temas essenciais para os leitores em tempo hábil.

    Mascarados e os limites das manifestações – Várias são as críticas que se ouve mais da mídia do que dos cidadãos sobre os transtornos que essas manifestações vêm causando. Sim, cria chateação, trânsito, etc.. Mas se as pessoas estão chateadas, frustradas com a política e o governo, e se há represada essa frustração por décadas, não me parece crível que as manifestações fossem somente três paradas cívicas e pronto. Isso é bloco de carnaval. Qualquer cidadão tem o direito de manifestação em locais públicos. O que realmente falta é o foco!!! Já falei isso inclusive para os manifestantes acampados no posto 12  na praia do Leblon. É importante que se apresente uma pauta sobre o que se quer que aconteça para que sobre a pauta exista diálogo e possibilidade de o movimento retroceder fisicamente mas com avanço moral e de fato em compromissos com autoridades. Movimentar só para externar insatisfação tem seu valor, mas não é o mais eficiente para a concretização da mudança social. De qualquer forma, a dimensão das manifestações desde junho, e agora arrefecidas e diminuídas, já gerou renovação de pauta social, adoção de medidas governamentais na área da saúde (Programa Mais Médicos) e nos transportes (o governo federal reservou 50 bilhões para que Estados e Municípios apresentem projetos de mobilidade urbana.. e este valor não é um valor limite final segundo manifestação do governo federal.. tudo depende dos projetos apresentados). A parte de educação ainda está sem grandes alterações, mas no Estado do Rio de Janeiro pouco antes das manifestações eu já havia lido que o Governo Sérgio Cabral havia criado um sistema remuneratório em que o professor da ativa poderia chegar a ganhar até 6 mil reais, já havendo uma média de salário de em torno de R$3.000,00 (três mil reais). O Município do Rio de Janeiro também já havia feito concurso para professor de história e física oferecendo o valor de R$4.000,00 (quatro mil reais). Isso é uma melhora. Mas Dilma não entregou as 900 creches e ainda prometeu, ante a cobrança social, entregar 1.200 e há falta de professores e servidores para as 214 escolas técnicas criadas, além de que as Universidades Públicas ainda mantém o sistema feudal de contratação de professores auxiliares. Assim, muito há a se obter através de manifestações e as manifestações não devem ser perseguidas ou limitadas, desde que sejam manifestações pacíficas e ordeiras, naturalmente. Não há limite, infelizmente (ou felizmente) para essas passeatas e manifestações. A polícia está começando a saber como atuar: protegendo os manifestantes, protegendo os não-manifestantes, protegendo o patrimônio público, protegendo o patrimônio privado e adequando o trânsito. O grande problema é a questão de se têm direito os mascarados de permanecerem mascarados. Isso dificulta identificação de vândalos e ladrões que se misturam aos manifestantes. Ao meu ver, quem faz manifestação em ambiente democrático não precisa de máscara, por mais que haja um símbolo por trás. Mas mais importante ainda, requerida identificação por policial, devem se identificar, óbvio, pois uma máscara não aumenta direitos deste cidadão manifestante em relação a todos os não-manifestantes que têm esta obrigação. Sim a polícia é falha, e como vimos no caso de lançamento de coquetel molotov por policial P2 no Palácio Guanabara, até criminosa. É isso que faz com que muitos queiram ficar incógnitos: o medo de ser perseguido indevidamente. Portanto, entende-se que manifestantes queiram permanecer incógnitos por causa da falta de credibilidade da polícia, mas a ponderação dos princípios e fatos envolvidos pesam a favor não da proibição do uso de máscaras, mas da legitimidade da polícia em requerer identificação e remoção de máscara de quem é identificado. Pode ser que se chegue ao ponto de proibir o uso de máscara nas manifestações, mas somente diante da evidência de que isso realmente está impedindo a ação da polícia em grande proporção e de que isso está ajudando a criar uma atmosfera de desordem, destruição e crime. Antes disso, não vejo problema de os manifestantes usarem máscaras, desde que não cometam crime. Qualquer um que quebre qualquer coisa, realmente deve estar sujeito às punições respectivas e se fez por conscientização política (leninistas, trotkistas e anarquistas fazem isso por convencimento político de que isso ajuda na solução de problemas, com o que nós do Blog discordamos), deve assumir sua atitude. Mas nesses temas o certo e o errado são muito difíceis de ficarem completamente preto no branco. De toda a forma, a posição do Blog é esta: a polícia deve usar mais de inteligência, manifestantes podem usar máscara, mas devem se identificar e tirar a máscara para policiais e qualquer um que quebre algo deve responder por seus atos. Proibição de uso de máscaras somente deve ocorrer se as manifestações com mascarados tomar proporção tal que instale a desordem, o crime e a falta de paz social… isso ainda não ocorreu.

    Câmbio – O Banco Central atua bem em atuar no mercado à vista e no futuro para arrefecer o movimento de alta do dólar. É isso que deve se fazer e não aumentar juros. Os jornais e a grande mídia mentem que a fuga de dólares se deve à desestruturação da economia. Nossa relação dívida/pib continua baixa e a mais baixa de todos os países ricos. Nosso déficit se deve exclusivamente à conta petróleo, já que várias plataformas tiveram de parar para manutenção e a importação de petróleo e derivados, portanto, ficou maior em valores do que a exportação. Isso não é descontrole da balança. Isso é um desajuste temporário com causa definida e pontual. O problema da escrituração das contas públicas (falta de transparência por confusão entre as contas despesas e investimentos) é um probleminha, mas não é isso que leva bilhões de dólares para fora, mas a recuperação dos EUA, a informação de que os EUA despejarão menos dólares por me^s em sua economia e a expectativa de aumento de juros básicos americanos. Isso é independente de nós. Só podemos fazer alterações e intervenções em mercado para tentar diminuir um movimento que afeta a todo o mundo. O que pode ser feito hoje para alterar isso, além das intervenções no mercado de câmbio pelo Banco Central? Acelerar as concessões de rodovias, aeroportos, todas as que forem possíveis. Isso atrairá dólares que aliviará a saída grande atual. Licitações de blocos de exploração de petróleo. Isso é que manterá uma torrente de dólares par ao País. Agora, também um aumento de dólar não é o fim do mundo. As exportadoras estão lucrando e isso também gira a economia e o impacto inflacionário nõa está se mostrando, talvez porque as famílias estejam tão endividadas que simplesmente não compram e a inflação não evolui. Lembro de época em que a mídia só queria dólar mais alto para estimular exportação… rsrsrs. Exportar era tudo… Bem, ainda é muita coisa. Então vamos aos fatos e analisar a realidade da questão cambial e não fazer sensacionalismo cambial para dizer que, como sempre, está tudo descontrolado e que o governo é incompetente e que o Banco Central deve aumentar juros (sempre, né?). Eu vejo a abordagem fraca da mídia sobre o tema com dois exclusivos objetivos: aumentar juros selic para aumentar lucro de seus coligados bancos e vender uma imagem de desgoverno para facilitar o embate eleitoral do ano que vem para PSDB. Mas é claro que é só minha opinião. Rsrsrs

    Juros – É… como Tombini insistiu na imbecilidade de aumentar juros neste momento em que a inflação somente cai, o que é um crime de lesa pátria e retira pontos de crescimento econômico e de criação de empregos, agora apresenta Ata do Copom com o que Miriam, Sardenberg e Cia chamam de incongruência. Aumenta juros e diz que o orçamento não está descontrolado. É lógico que o orçamento não está descontrolado e que as despesas do governo são equilibradas e essenciais. Veja por exemplo uma questão delicada e em que até apoio a Miriam em parte: o corte do valor da energia elétrica está criando um gasto anual de 8 bilhões ao Governo. Se criou esse gasto, é porque não é sustentável? Certo? Depende. Realmente, se cria esse gasto anual é óbvio que o sistema sozinho não ficou sustentável, mas qual o benefício para a economia desse gasto?!?! É isto que nunca se diz nem mesmo para o efeito de contratação de servidores públicos. É um erro só se ver o gasto imediato se não se pondera o benefício social e financeiro de prazo mais longo. Esse gasto de 8 bilhões anuais pode estar sendo responsável por melhores preços de nossos produtos exportados e por ativar a economia e gerar crescimento econômico extra que mais do que compense o gasto!! Não à toa, recentemente o Jornal O Globo publicou uma manchete assim “Boa notícia -Crescimento surpreende em todos os setores”.. era algo assim. Então, veja, o orçamento público está controlado. Nos EUA e na Europa os subsídios econômicos são de em torno de 300 bilhões de dólares (não me lembro se mensal ou anual) e vejam como eles são ricos. A relação dívida/pib deles hoje está ruim porque os bancos pecaram e abusaram da desregulamentação de mercado e os cofres públicos resgataram os bancos. Mas mesmo na Era de Bill Clinton, com relação dívida/pib americana de 25% (hoje é de 107%) os subsídios já eram bilionários e geraram riqueza e bem-estar aos americanos.. e nós não podemos gastar 8 bilhões de reais ao ano?!?!?!?!?! Bem, dito isto. Fica claro que as contas públicas estão ok. Mesmo o gasto com os médicos estrangeiros.. é gasto ou investimento? A grande mídia, claro, diz que é gasto, mas quanto é economizado em tratamento médico, medicamentos, cirurgias e internações se brasileiros forem bem atendidos na saúde básica?  É amigo.. pensar dá trabalho, mas dá mais frutos do que ler somente a grande mídia. Então o orçamento, com relação dívida/pib declinante está bem. Aumento de juros não atrairá dólares que saem porque querem a segurança de juros de títulos norteamericanos e, inclusive, com o esvaziamento da bolha no Brasil (agosto de 2013 pode ter sido o primeiro mês de esvaziamento da bolha com queda de aluguéis no RJ e de preço da metragem de vários bairros inclusive do Leblon, como abordamos no artigo anterior), pode-se até cogitar que os especuladores imobiliários estão indo embora.. será? Então, o aumento de juros foi mais uma vez imbecil e criminoso. Espero que volte a cair logo esse juros absurdo e criminoso e que Tombini tenha de sair do cargo por motivos pessoais e coloquem alguém de personalidade para gerir a política monetária.

    Esvaziamento da bolha imobiliária – Pessoal, leiam o artigo anterior a este. O Globo publicou que agosto foi o primeiro mês de queda de valor de imóveis e de aluguel. Isso, interessantemente, ocorre em paralelo com a grande saída de dólares do Brasil neste momento. Será que parte dessa saída de dólares vem do mercado imobiliário? Pode ser. Não há o cruzamento dessas informações ou sua publicação. Como vimos acompanhando, o mercado chegou no que parece ser o pico de preços. Mas não é só isso. Os dólares estão saindo porque os EUA vão mudar seu comportamento com o mercado e parar de injetar 85 bilhões de dólares mensais em sua economia, além de talvez voltar a aumentar juros. Então, senhores, para um especulador e investidor faz sentido tirar seus valores de ativos superprecificados e colocá-los em títulos mais seguros enquanto se reavalia o mercado diante de uma grande alteração em paradigmas de investimentos (alteração da política monetária americana). Por enquanto temos somente essa informação: Agosto de 2013 foi o primeiro mês de queda de preços de imoveis e de aluguéis, inclusive no Leblon. Seguimos acompanhando.

    Espionagem americana – Parabéns ao Globo pelo furo da notícia da espionagem à Dilma (notícia revelada no Fantástico). Isso é uma violação da soberania brasileira. Sim, verifica-se que os EUA são terroristas de Estado. É triste, mas é isso. Não ponhamos panos quentes. É isso. Se a Rússia estivesse fazendo isso, qual seria a reação internacional? E a sua? E se fosse a China a fazê-lo? Pois é. É bom saber com o que realmente lidamos. Eduard Snowden, por outro lado, para o Blog Perspectiva Crítica, é herói americano e mundial e está pagando por sua coragem em não admitir violação de direitos humanos (violação à privacidade de americanos e de todas as pessoas de todo o mundo que usam a internet) e do direito internacional (violação de sigilos de comunicação de autoridades de outros países).

    p.s.: texto revisto e ampliado

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui