Oportunidade de ouro para baixa dos juros Selic a níveis mais normais

    57
    0

    Pessoal, hoje, 19/08/2011, li a coluna do Antonio Machado no Jornal do Commercio e destaquei somente este trecho: “Na hipótese remota de os governos na Europa assistirem passivos à quebra de algum banco, tudo muda: o BC deve apressar a desengorda da Selic, e a Fazenda voltará com as ações fiscais anticíclicas.”

    Aqui, apesar do trecho ser pequeníssimo entre tantas coisas ditas por Antonio, quero que você veja um raciocínio básico sobre juros para evoluir sobre a situação hoje.

    Se a economia está muito aquecida, com crescimentos altos (ano passado foi de 7,5% o PIB), há margem para pressões inflacionárias. Se a renda e o emprego aumentam, há mais dinheiro na economia e as pessoas passam a admitir aumentos nos preços, o que gera pressão inflacionária.

    Neste ambiente o Banco Central aumenta juros Selic para encarecer os empréstimos e diminuir a pressão inflacionária causada pela disponibilidade de dinheiro na economia, ou seja, para diminuir a pressão inflacionária de demanda.

    Se, ao contrário, há diminuição da atividade econômica, há menos dinheiro na economia e para estimular a demanda e não deixar os preços caírem muito para não haver desemprego e falências de empresas, o Banco Central diminui juros Selic para estimular a economia. Isso é o que ele sugeriu no trecho acima em caso de quebra na Europa: redução mais rápida de Selic e adoção de medidas anti-cíclicas pelo governo, com aumento de investimento público.

    Mas como se faz para baixar juros excessivamente altos mesmo quando há pressão inflacionária?

    Veja, hoje a inflação está cedendo, depois de todo esse juros e adoção de medidas macroprudenciais, mas problemas climáticos no mundo estão afetando safras de soja e de alimentos em geral. Então, pode ocorrer de mesmo com juros Selic nas alturas, por problemas climáticos mundiais o Brasil vir a apresentar pressão inflacionária não por aumento de demanda mas por falta de oferta!! O que vimos no início do ano.

    É muito importante você e o máximo de pessoas possível entender que no caso de inflação por falta de oferta, gerando aumento de preço da commoditie no exterior, não pode ser controlada por Juros Selic.

    Não podemos condenar o País a ficar aumentando Selic para corrigir número global de inflação sem atacar o problema específico, pois isto é sacrificar a parte da economia que vai bem, para compensar o reflexo de uma outra causa referente à verdadeira parte da economia que iria mal.

    Por isso digo: não se pode adotar aumento de juros para tudo. Nossos analistas sérios e jornalistas econômicos tem de ser mais técnicos. Juros Selic é antibiótico e não se dá antibiótico para qualquer coisa. Não é por ser grave a inflação que se dá juros Selic e pronto. É o mesmo que tentar curar portador de AIDS com antibiótico pura e simplesmente. Se a Aids é deflagrada por vírus, o antibiótico sozinho nada pode fazer, já que se destina a matar bactérias. E você só debilita mais ainda a parte sã do corpo.

    Nosso juros Selic está nas alturas. Isso, além de aumentar a dívida pública, que paga o juros selic para quem investe em título da dívida pública brasileira, atrai dólares além da conta e do normal para o Brasil, o que baixa artificialmente o valor do dólar e prejudica nossa exportação e desindustrializa o País.

    Então, temos de nos incomodar com esse juros exorbitante!!! países muito piores do que nós pagam juros negativos!!!! Japão e EUA à frente!! Eles estão com déficit público e relação dívida/pib muito pior do que os nossos e pagam juros menores!! Eu sei que é reflexo do rating atrasado de suas dívidas soberanas, mas nós não temos que ficar felizes com isso e nem devemos aceitar aumento de juros exorbitante para qualquer surto de inflação se o aumento não ataca diretamente a causa inflacionária, mesmo que no geral puxe a inflação para baixo.

    Está faltando foco técnico correto. Está faltando autonomia na análise das causas da inflação. Se houver diminuição de oferta de comida no mundo por questão climática, o que deve se fazer é aumentar investimento em produção para aumentar oferta do produto alimentício que faltar para equilibrar a oferta.

    Não devemos perder nenhuma oportunidade para normalizar nossos juros Selic!! Pressão nisso. temos de conviver com um monte de medidas heterodoxas e criativas do Ministro da economia por causa dos reflexos nefastos de um juros Selic gigantesco.

    Claro que se toda a economia mundial enfraquecer os juros selic deveráo ser diminuídos mais rapidamente, até aí o Antonio Machado nada falou… mas o importante é termos consciência de que os juros selic está exorbitante e isso é anacrônico para nossa atual situação econômica e orçamentário-finaceira.

    Temos de enfrentar esse mal que é a Selic obtusamente alta a bem das finanças públicas e parar com remuneração a banco de forma desmotivada!! Alguém por favor se levante contra nossa prisão no ciclo de “aumento de juros-inflação por problemas externos-aumento de juros”. Há inflação interna do preço de serviços, tudo bem, mas no cômputo das razões internas de pressão inflacionária, qual é sua importância?

    Ninguém descama as causas da inflação para cuidar de cada uma em medida ideal. Sempre e somente se aponta aumento de juros ou manutenção de juros altos para tudo!!! Isso é uma ignorância.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui