O grande risco do atual momento de crise: a janela histórica para o avanço da Reforma Liberal

    69
    0

    Senhores e senhoras, vivemos nesse momento uma situação que eu vejo de risco, quando o centro financeiro nacional e internacional vê oportunidade. O risco é para pessoas, governo e empresas; a oportunidade é para o centro financeiro nacional e internacional.

    Talvez poucos tenham visto o recente artigo no Jornal O Globo que comparou a situação das siderúrgicas com a situação dos bancos: siderúrgicas em prejuízo de R$1 bilhão a R$8 bilhões este ano… bancos como Bradesco e Itaú com lucros de R$13 bilhões a R$14 bilhões. E o artigo deixava claro qual a principal fonte desse lucro: títulos do tesouro brasileiro. Isso é um fato aleatório? São fatos desconexos? Não.

    É bom que se diga: a crise vai passar senhores, com ou sem PT. Por quê? Por que a economia tem vida própria independente de Dilma e da Operação Lava Jato. O prejuízo à economia que o governo do PT poderia causar, bem como a Operação Lava Jato.. já ocorreu. Tenho amigos do mercado financeiro, inclusive no exterior, que disseram que ainda piora antes de melhorar.. mas eu pergunto.. piora quanto?

    Qualquer um que acompanha a economia sabe que os movimentos positivos e negativos têm um ciclo.. um início e um fim.. e todos ficam analisando para ver quando se aproxima a tendência de inflexão desses movimentos.. parece que os números desse ano serão piores do que os do ano que vem, portanto, podemos já estar no ponto de inflexão em que a economia em baixa pode começar a apresentar alguns sinais de reversão.

    O Jornal do Commercio publica bastante que as previsões dos empresários começa a melhorar. Por quê? Porque a crise já ceifou bastante e os estoques diminuíram.. portanto, somente a atividade para refazer estoques em 2016 já gerará uma melhora de quadro. Perderam-se 2 milhões de empregos? O Ipea disse que cada pessoa demitida pode gerar a procura por quatro empregos, pois as pessoas que não trabalhavam na casa têm de procurar emprego. Portanto, a demissão pode ser menor do que o número total de desempregados, o qual é feito com base no número dos que procuram emprego. As pessoas continuam pagando suas dívidas e o nível de endividamento está diminuindo. Isso pode liberar poupança à frente… mais de R$180 bilhões de reais em investimentos em infraestrutura já estão sendo contratados pelo governo com as concessões de rodovias, portos, ferrovias e aeroportos. Mas é claro que tudo melhoraria mais rápido se o crescimento dos EUA, Europa e China fossem mais vigorosos e o preço do petróleo e minério de ferro subissem.

    Então, vejam, estamos muito longe do fim do mundo. Estamos mais perto de uma reorganização econômica. Mas nesse momento, aproveitando a crise econômica e política, as forças conservadoras no Brasil estão fazendo uma intensa propaganda de que é preciso dar forte impulso às “mudanças necessárias” e que isso salvaria o Brasil! Salvaria de quê? do Colapso econômico que propagandeiam, mas que não é de tal dimensão. Eles precisam conseguir implantar algo dessa mudança agora porque se as coisas melhorarem por si só no ano que vem, será a demonstração de que nossa economia é mais forte do que todos nós imaginamos e do que é publicado nos jornais.

    Assim, com a evidente falta de credibilidade do governo e o elameamento da imagem do PT, por exclusiva culpa do próprio PT, vende-se a ideia de que tudo deve ser mudado. E o que é isso? É o que está publicado por Armínio Fraga no artigo “Resposta à altura da crise”, a página 36 do Jornal O Globo de 13/09/2015 e em grande parte copiado pelo PMDB na sua proposta “Uma ponte para o futuro”.

    O Blog Perspectiva Crítica depois os analisará com calma para apresentar a análise para você, mas imediatamente podemos perceber que 25% de tais propostas interessam ao País e 75% da proposta interessam a bancos em prejuízo ao País, na nossa perspectiva e na perspectiva do cidadão e de empresas.

    Observe que todo economista com quem converso admite que o controle da inflação não precisa ser feito exclusivamente por aumento de juros, mas nenhum programa sequer mencionou que a perda de R$500 bilhões de reais, no ano de 2015, com títulos de da dívida do tesouro nacional é um absurdo totalmente reversível. Nenhum programa falou em desenvolver a prestação de serviço público, mas somente em diminuir o Estado. As propostas de Armínio e do PMDB poderiam até ter sido escritas direto pelo FMI, observe, ou qualquer organismo financeiro internacional.

    Levado a cabo, qualquer das propostas, seja a de Armínio Fraga, seja o do PMDB, nos levam mais próximo dos EUA do que dos europeus, e isso que estou falando é muito grave para a qualidade de vida do cidadão.. as consequências são como vinho e água, para quem analisa a qualidade real de vida nos EUA e a nórdica ou alemã ou francesa, por exemplo.

    Não há mágica. Mas estão vendendo a ideia de que virar completamente a política em relação a direitos trabalhistas, previdenciários, servidores públicos, privatizar tudo, diminuir mais ainda o Estado brasileiro (sem nunca mencionar os 118 mil cargos em comissão, 26 mil dos quais só no Executivo Federal, perceba).. que isso solucionará tudo.. Não é verdade. Atrairá dinheiro, mas não solucionará magicamente nada.

    A verdade é que a economia por si só está se corrigindo, corrigindo estoques, acertando preços.. muito menos do que deveria, mas está corrigindo preços.. se aqui fossem os EUA, os preços já teriam caído muito mais.. pois a concorrência lá é maior. Aqui ainda mantemos nossa economia mais fechada querendo defender nossos empresários.. o que não é ruim, mas o problema é se eles pretendem compartilhar conosco o bem que este impedimento de acesso aos nossos mercados pelos estrangeiros lhes traz de riqueza.

    Também em nenhum dos programas, e inclusive há silêncio por parte do próprio PT e partidos de esquerda, está contemplado uma taxação de grandes fortunas, o que pode catapultar a economia enormemente. Nos EUA pode chegar a 77%? Na Alemanha e França, 40%? Porque não fazemos por 20% aqui? Seriam outros 100 bilhões anuais ou ao menos 20 bilhões? Mas não. Importante dizer que a catapultagem da economia via imposto sobre grandes fortunas ou aumento de imposto sobre herança para patrimônios superiores a 50 milhões de reais não se dá pela arrecadação, mas pela contratação de seguros de vida e criação de instituições e fundações privadas sem fins lucrativos, para os super ricos diminuírem o impacto de tais impostos sobre suas fortunas. Isso já foi tratado em artigo próprio neste Blog.

    E por que não organizar as prestação de serviços públicos de forma mais eficiente? Criando cargos públicos de médicos federais, por exemplo, criando carreiras e organizando salários? Como o PT não defende a data-base para servidores públicos, se existe data-base para trabalhadores da área privada? Isso acabaria com 80% de todas as greves em todo o funcionalismo em todo o Brasil!! Mas não.

    E a abertura de nossa economia? Alguém diz como seria? E os interesses estratégicos geo-políticos que temos com o Mercosul, Unasul, Brics, G-20… ninguém comenta? É só o quanto pode vir imediatamente de dinheiro o que interessa? E o projeto de nação independente e autônoma? Não.. nenhuma linha.

    O Blog Perspectiva Crítica quer aqui denunciar que as propostas apresentadas por Armínio Fraga e pelo PMDB estão com a perspectiva muito economicista, imediatista e estão tentando criar um debate que nos alinha, somente, com os principados dos centros financeiros internacionais. Não temos nada contra a economia e bancos, muito pelo contrário. Mas não podem os centros financeiros internacionais implantarem a política do Brasil porque o resultado será exclusão, desigualdade e desassistência social.

    Fazemos aqui nossa denúncia. Avanços econômicos sim, mas os juros que o Brasil pagam são incompatíveis com nossa economia, as agências de rating nos rebaixam mais rápido que o fazem com a Turquia, Rússia ou qualquer outro, sendo que esses países estão em locais deflagrados por guerras.. há um viés político nesses ratings e isso já foi denunciado por Joseph Stiglitz e Paul Krugman e nós aqui fazemos o mesmo.

    O grande risco que corremos é que essa crise econômica aliada à crise política seja uma janela histórica para que os conservadores no Brasil, que seguem os centros financeiros internacionais, apropriem-se das naturais melhoras econômicas que já estão a caminho; que chantageiem o país, apresentando suas “saídas” para a crise, que nada mais são do que a implantação de toda a agenda liberal, e que se apoderem, com a sobrevinda da natural melhora de nossa economia, da imagem de que sabem o que fazem e que devem ser cegamente seguidos, apropriando-se da máquina política e econômica de nosso país.

    Importante dizer ainda que se os juros básicos não fazem mais efeito no controle da inflação é porque, além do fato de que aumentar juros não fará a economia mundial deslanchar (rsrrs), o mercado financeiro já está bêbado com juros tão altos.. e só faz exigir mais.. o correto seria o aumento de depósito compulsório e menos juros Selic… mas isso diminuiria os lucros de bancos.. então, no Brasil não pode.

    Devemos estar atentos e ter cuidado.

    p.s.: Texto revisto e ampliado.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui