Mercado prevê inflação abaixo da meta de 6,5%: mais alguém riu comigo?

    31
    0

    Pessoal, artigo no Jornal O Globo de hoje, 15/11/2011, pg.23 dá notícia daquilo que falamos há meses: “Analistas já vêem inflação abaixo do teto da meta”. Rsrssrsrs

    Quem nos acompanha não se surpreende, mas pode estar surpreso de como aquilo que vínhamos dizendo totalmente contrário ao publicado na mídia acabou se tornando algo concreto: existência de controle inflacionário e necessidade de medidas de baixa de juros Selic e tentativa de recuperação de crescimento econômico.

    A mídia, mesmo durante abril/2011, quando a inflação mensal (IPC-A) demonstrava queda mensal, ou seja, mostrava debelamento de processo de alta inflacionária, sustentava mês a mÊs que a inflação estava descontrolada somnete porque o IPC-A acumulado dos últimos 12 meses crescia e com previsão de passar o teto de 6,5%, inclusive.

    Mas nós deixamos claro de que o IPC-A acumulado é um demonstrativo do passado e que o importante seria a tendência consolidada de queda mensal do IPC-A e que no fim do ano a inflação não ficaria acima de 6,5%, não havendo motivo para continuar a aumentar Selic como a mídia e os bancos pediam. E ainda dizíamos e desmascarávamos a técnica de bancos para aumentar Selic contra os fatos: interpretavam o que pudessem negativamente (como IPC-A acumulado) e puxavam a previsão futura de inflação para aumentar a pressão por aumentode Selic no curto prazo e depois, quando suas previsões não fossem se concretizando, iriam baixando as previsões até se alinharem com a realidade no final do ano, já tendo embolsado o que pudessem de juros Selic.

    É exatamente o que está acontecendo. Nós, já expressávamos, não sozinhos, que se a previsão de atividade econômica estava baixa (IBC-BR), se o IPC-A mensal estava com clara tendÊncia de queda, se o índice de endividamentodas famílias estava alto e se a previsão de crescimento do PIB caía de 7,5% de 2010 para menos de 4% em 2011, não era possível que houvesse pressão inflacionária que justificasse mais Selic, tendo o Bacen com atraso adotado o posicionamento correto de passar a diminuir Selic estratosférica brasileira.

    E agora se materializa o que falamos durante meses: previsão de crescimento de PIB cada vez menor, inflação abaixo do limite da meta de 6,5%, mesmo com queda do juros Selic, sendo necessário até que o Bacen adote medidas de estímulo econômico.

    Acompanhe-nos. Leia os artigos pretéritos sobre economia. Você se independerá das mentiras da mídia que propaga somente a visão de bancos e que não te beneficia e nem mesmo as indústrias. Ou leia mais o Jornal do Commercio que é o jornal que em economia é o mais neutro e responsável que eu leio e tem interesse no crescimento econômico e no bem das indústrias, o que, por acaso, bate diretamente com o seu interesse de um País de economia saudável e com geração de emprego e renda pra todo mundo.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui