Comentário à lista de pré-candidatos à Prefeitura do RJ

    71
    0

    Pessoal, no Jornal Globo On line de hoje saiu a lista de pré-candidatos à prefeitura do RJ com uma grata surpresa: bom número de candidatos com qualidade.

    Pretendo comentar as opções que se desenham até o momento.

    São eles: Pré-candidatos para prefeito do Rio 2012 – Eduardo Paes (PMDB), Marcelo Freixo (PSOL) Otavio Leite (PSDB), Andrea Gouvêa Vieira (PSDB), Rodrigo Maia (DEM), Clarissa Garotinho (PR) e Stepan Nercessian (PPS)

    Primeiramente devo dizer que essa lista não está ruim, vejam. Não sabemos quem mais se apresentará, mas já sair com essas possíveis opções nos deixa satisfeitos. Comentarei sucintamente cada um.

    Eduardo Paes – Quero deixar claro que ele foi ruim para a educação especial no Rio de Janeiro. Admitiu a inclusão automática de crianças com deficiência em turmas regulares sem haver avaliação prévia, por pessoas competentes e identificáveis, sobre a capacidade psico-educacional de cada criança especial, adotando uma política “para inglês ver”. Isso para mim é grave e é totalmente desabonador. Também não houve grandes novidades na área de transporte. Todos os investimentos que existem foram obtidos por Sérgio Cabral com o Governo Federal e foram adaptações para tornar viáveis a Copa do Mundo e as Olimpíadas (BRTs, inclusive), mas não houve, por exemplo aumento de linhas de ônibus para Baixada e Zona Oeste e diminuição das linhas vazias que correm o eixo Zona Sul-Centro. Naturalmente por não ter o Prefeito sido capaz de anular o lobby das empresas de ônibus. Entretanto, o fato de ser do mesmo partido do Governador do Estado que é aliado do Governo Federal é interessante. Também se demonstrou bom em asfaltar ruas do Município e adotou várias iniciativas de “Choque de Ordem” que melhoraram a questão de meninos de rua, de mendigos, de Kombis irregularmente em vagas na Orla e de flanelinhas. O salário de professores municipais não é o melhor do Estado, apesar de a cidade do RJ ser a mais rica. Espero mais informações de suas realizações. Portanto, minha conclusão é de que merece nota 5. Mas o RJ precisa de avanços mais ousados.

    Marcelo Freixo – Esta é minha opção dentro do rol apresentado até o momento. Suas idéias e sua postura é ousada em prol da sociedade. Adotou a Educação Especial como meio responsável de inserção social da criança com deficiência e é contra a inclusão automática sem devida pré-avaliação. Neste sentido apoiou a proposta do Vereador Eliomar Coelho, também do PSOL, sobre Educação Especial na Câmara e sugeriu sua adaptação para proposta da ALERJ. Ele combateu a Milícia no RJ quando ninguém teve coragem para fazê-lo, teve um irmão brutalmente assassinado e hoje está exilado, sob a proteção da Anistia Internacional por sofrer por anos ameaça de morte por indiciar 265 pessoas ligadas de uma forma ou outra às milícias. Apóia movimentos sociais e os ajuda efetivamente, como o movimento pró-funk, de valorização deste movimento que é expressão de um grupo mais sofrido e menos abastado de jovens na sociedade. Iniciativas como esta integram a sociedade. Está em negociações com o PV para apoio à sua Chapa e o PV tem em Gabeira um precursor da solução definitiva para o problema de ônibus vazios na Zona Sul e lotados na Baixada: troca de linhas, o que é autônomo em relação aos interesses do oligopólio das empresas de ônibus do Município. Provavelmente fará todas as cobranças de multas às empresas de ônibus que nunca são cobradas e isso põe ordem no trânsito e aumenta arrecadação. Com certeza olhará para o salário de professores e de médicos municipais dos postos de saúde. Portanto, abre uma infinidade de possibilidades para a cidade do RJ. E tem a vantagem de não poder sofrer cortes em investimentos federais pois os investimentos são para a Copa de 2014 e Olimpíadas de 2016. Não tendo experiência anterior no Executivo, não pode ter nota. Mas de caráter e inovação para nossa política sua nota é 10.

    Otávio Leite – O que sei sobre ele é que é honesto e ativo como político. Quando soube do crime perpetrado pelo Município contra as crianças com deficiência acudiu o Movimento MIL prontamente. Já o conheci de outras épocas, quando era assessor parlamentar do Deputado Estadual Nílton Salomão. Nunca ouvi nada desabonador. É um quadro interessante do PSDB. As opções do RJ ganham com essa opção.

    Andrea Gouvêa Vieira – Nunca ouvi nada desabonador. Honesta e ética. Não tenho maiores informações que disponibilizarei assim que as tiver e caso ela seja confirmada, já que também é do PSDB. Ótimo quadro e acresce positivamente a concorrência à Prefeitura.

    Stepan Nessercian – Honesto, íntegro, ético. Aberto e acessível. Equilibrado. Eu confio. Ótimo quadro do PPS. Acresce postitivamente a concorrência.

    Clarissa Garotinho e Rodrigo Maia – Não querendo que paguem pelo passado dos pais, não se pode contudo afastá-los de suas influências. Naturalmente eleitos, já que não alimentam postura de ruptura com seus pais, na verdade fica a nítida impressão, a mim, de uma espécie de titeria ou continuidade do governo paterno. Sendo assim, o Governo do Garotinho, apesar de algumas realizações importantes (equiparação salarial da Defensoria Pública ao Ministério Público e aumento de salário de professores e médicos do Estado, além de reinício de investimento em estaleiros e o desengavetamento da Comperj – tudo isso ótimo) foi condenado pela Justiça Eleitoral por abuso de poder político e ou econômico (ou um ou outro). Complicado. A ética é muito importante pois dá dimensão dos riscos no exercício do poder e na Administração da coisa pública. Seu indicado para o Tribunal de Contas do Estado, Jonas, ex-chefe de Gabinete teve recentemente problema grave jurídico sobre exercício de cargo, senão me engano. Acho arriscado votar em sua filha Clarissa por isso, pela sua influência. Rodrigo Maia é a mesma situação. Apesar de seu pai ter feito muitos boas coisas pelo RJ (em especial na área de saneamento e adminstração de vias pluviais, melhorando os alagamentos de chuva) e ter sido bom para os funcionários municipais, teve problemas graves com a cidade da música, envolvendo 500 milhões de reais, e não deixou uma boa imagem de compromisso público, na minha visão. César Maia é um geniosinho político, criativo, mas nem sempre parece que para o bem público. Votar no seu filho seria, talvez, voltar a isto, por isso não tem meu voto.

    Fica aqui minha opinião sobre os pré-candidatos até agora, consoante informações limitadas de que disponho.

    Deixo o blog aberto aos próprios pré-candidatos parta acrescerem e responderem ao artigo da forma que quiserem, inclusive cada um com direito de espaço de um artigo por resposta ou comentário/crítica ao artigo.

    Deixo claro que esta é minha opinião pessoal sobre cada um deles e o artigo é a expressão da minha opinião livre e pessoal, refletindo meu convencimento sobre os mesmos segundo as informações que chegaram a mim até hoje e juízos de valores exclusivamente meus.

    Importante salientar que independentemente (ou nem tanto) de características pessoais, é importante verificar o projeto político que pretendem apresentar e realizar se forem eleitos prefeitos. Passado limpo pura e simplesmente não é passaporte para a cadeira de Prefeito. Mas projeto criativo a ser realizado e apresentado por candidato sem ficha limpa ou com riscos éticos de conduta também não podem ser opção. Ou seja, é um problema, mas você e eu temos que nos informar, trocar dados e tentar escolher o melhor para a cidade.

    Por enquanto, pelo que se apresenta até o momento, vou com Marcelo Freixo.

    Abs a todos

    Mário César Pacheco Dias Gonçalves

    p.s. 16/11 – texto revisado e ampliado

    p.s. 05/12/2011 – texto revisado

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui