Inflação cai de 2011 para 2012, de 6,5% para 5,84%, dentro da meta ampla do governo

    42
    0

    O viés buscado pela Globo é sempre de cumprimento ou não do centro da meta. Assim, a publicação de hoje, como sempre, indica que a meta do governo de índice de inflação não foi alcançada.

    Acesse: http://oglobo.globo.com/economia/inflacao-fecha-2012-em-584-acima-do-centro-da-meta-7247450

    Em relação à inflação de 2012 de 5,84% e à inflação mensal de dezembro de 2012 em 0,79%, o Blog Perspectiva Crítica term a considerar para seus leitores que a realidade dos fatos é a seguinte.

    O governo tem conseguido manter a inflação dentro da meta definida, ou seja, entre 2,5% e 6,5%. No ano de 2011 houve a única vez de rsico de não cumprimento de meta de inflação desde que o sistema inglês de metas inflacionárias foi adotado pelo Governo. O índice ficou exatos 6,5%.

    É importante notar que nossa mídia, como historicamente adota como parâmetro a seguir a realidade e fatos ocorridos no estrangeiro (EUA e Europa em especial), assim como defende princípios monetaristas/financistas para política econômica, tem o viés de querer para o Brasil o índice inflacionário da Suíça, EUA e Europa em geral, ou seja, 2%.

    Entretanto o Brasil não tem o nível econômico e social destes países e portanto tem de correr atrás do prejuízo econômico e social criando mais oportuinidades de emprego, aumento de salário-mínimo, resgate de dívidas sociais (diminuição da pobreza extrema e da pobreza, melhora de serviços públicos de educação e saúde, diminuição de déficit de moradia, garantia de extensão de serviços de saneamento, água, esgoto e luz a toda a população..). Tudo isso exige que a economia gire mais, que o governo gaste mais e isto empurra o índice de inflação para cima, em regra.

    Não se pode deixar que haja inflação inercial, ou seja, que ocorra inflação sem haver crescimento econômico suficiente a avançarmos econômica e socialmente, mas nossos índices ficam mais próximos da Índia e China, porque estes países estão em mesmas condições do que a nossa de correr atrás de prejuízo econômico e social.

    Pela experiência brasileira, segundo li em alguns livros, a inflação brasileira girar abaixo de 4,5% compatibiliza com uma situação de baixo crescimento econômico não desejável ao nosso país hoje em dia. É desejável para países ricos, em política defensiva do capital, já que os índices sociais já são bons. Mas não é desejável ao Brasil que precisa resgatar déficits e dívidas sociais.

    Com esse pano de fundo, temos a dizer que o que foi ruim em 2012 não foi a inflação, mas a correlação entre inflação e crescimento econômico que em 2011 foi muito melhor.  Em 2011, a inflação foi de 6,5% mas o cresicmento do PIB foi de 2,7%. Em 2012 a inflação foi de 5,84%, mas o PIB aumentou em torno de 1%. Mas isto não impediu que 1,7 milhão de empregos fossem criados. Então a configuração econômica de 2012 foi muito boa, ainda mais se comparado com países como EUA, os da Europa e Japão.

    Essa é a verdade. O governo vem administrando magistralmente os elementos e condicionantes econômicos por todos estes dez anos. E isso é incrível.

    O que deve ser verificado é que realmente devemos dar um jeito de aumentar o crescimetno do PIB, assim, como o fato de a inflação de dezembro de 2012 ter sido de 0,79%, ou seja, acima do número mágico já dito por esse Blog de 0,45% (IPCA) deve gerar uma luz amarela na gerência da inflação. Mas dezembro, senhores é mês de festas e as pessoas gastam, sendo historicamente mês de inflação mais alta.

    Então, ao contrário do artigo de alarde do Globo, já mencionado no início deste artigo, o quadro inflacionário está bom. importante registrar que ano passado, inclusive, a quebra de safra de trigo americana prejudicou muito nossa inflação e já vi escrito (no Globo) que inclusive se não houvesse problema climático estrangeiro e nacional quebrando as safras externas e internas (gerando inflação de alimentos acima de 10% em 2012) a inflação poderia ter ficado em 4,5%. Tudo normal, portanto, já que clima ainda não é controlável.

    Seguimos acompanhando, alertando sempre quanto aos interesses puramente brasileiros e do cidadão comum brasileiro em relação aos fatos econômicos, sociais e políticos.

    p.s.: Não obstante o título do artigo (e a sua primeira metade) do Globo dar conotação, a meu ver, de alta inflacionária, do meio para o fim do artigo a abordagem do tema inflação e juros selic tanto de 2012 quanto prospectivo em relação a 2013 está técnico e muito bom, sem margem para críticas minhas. Vale a pena a leitura.

    p.s. de 11/01/2013 – texto revisto e ampliado.

    p.s. de 15/01/2013 – Apesar de a China ter apresentado índice inflacionário de 2,4% em 2012, bem abaixo dos nossos 5,84%, essa queda deriva de uma grande diminuição do avanço da economia chinesa, já que a inflaçãochinesa de 2011 foi de 4,06% e a do ano de 2010 foi de 4,57%. Nos dois anos mais agudos da crise econômica, a inflação chinesa foi de 1,7% em 2009 e de 1,26% em 2008, tendo o ano anterior à crise, de 2007 sido de 6,579%.  Confira em http://pt.global-rates.com/estatisticas-economicas/inflacao/indice-de-precos-ao-consumidor/ipc/china.aspx

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui