Boletim Focus 2012: primeira incongruência do ano

    33
    0

    Previsão do Boletim Focus (média da expectativa das 100 maiores instituições financeirtas privadas do Brasil), organizado pelo Banco Central, gera a primeira incongruência do ano.

    Pela nona semana consecutiva prevê baixa da inflação para 2012, em 5,29%, ante a previsão de 5,32% há quatro semanas, e prevê inflação de 5% para 2013, segundo a publicação no jornal do commercio acessível em http://www.jcom.com.br/noticia/138401/Projecao_de_analistas_para_inflacao_em_2012_cai_pela_nona_semana_seguida

    Entretanto, prevê o mesmo boletim juros de 9,5% ao ano em 2012, acompanhando a previsão oficial do Banco Central para o ano de 2012, mas prevendo juros de 10,38% para 2013, subindo a expectativa de juros que antes era de 10,25%.

    Se o juros deve conter a inflação, e esta é a principal função do juros básicos, como se justifica queda de inflação e aumento de juros (a não ser que imaginem que o BC terá de subir juros para baixar a inflação)? E se uma outra função importante de aumento de juros é atrair dólares para bancar a dívida pública, e nossa relação dívida/PIB é decrescente, além de nós ainda termos o maior juros reais do mundo, inclusive questionado como incompreensível por um grande economista mundial, qual seria o motivo para a previsão de aumento de juros em 2013?

    Bem, a resposta é a mesma das previsões de inflação absurdas, e juros mais absurdos ainda, feitas pelas instituições financeiras no início do ano de 2011, em relação à inflação e juros do fim de 2011: interesse em influenciar a manutenção de juros altos para remunerar os bancos com dinheiro fácil, às custas da dívida pública brasileira.

    Já apresentamos a primeira incongruência do ano. Ficaremos de olho. Se prevessem aumento de inflação e aumento de juros eu entendo (existem até alguns argumentos.. mas eu não concordaria). Agora, prever baixa de inflação e aumento de juros para o Brasil, com os dados econômicos atuais e a situação mundial como se encontra, é ridículo.

    É.. vinha bem a banca… eu estava até estranhando… mas agora volta ao normal com suas previsões com foco no interesse próprio.

    Seguimos acompanhando.

    p.s.: menos sentido faz ainda a previsão de aumento de juros com as previsões de crescimento baixo da economia (mantuenção de previsão de crescimento de pib brasileiro em 3,27% para 2012 e queda de perspectiva de crescimento de 4,25% em 2013 para 4,15%), além de relação equilibrada de valor do dólar (previsão de 1,80 para final de 2012 e 1,75 para 2013) e previsão de manutenção de alto investimento direto estrangeiro (55 bilhões de dólares em 2012 e 55 bilhões de dólares em 2013) e superávit comercial em 15 bilhões de dólares em 2012 e 2013. Confira todas essas informações no site do jornal do commercio on line em http://www.jcom.com.br/noticia/138405/Mercado_mantem_em_327_estimativa_de_crescimento_da_economia_este_ano
    Sem surpresas e más notícias no cenário econômico, sem pressões inflacionárias (e pelo contrário, previsão de baixa de câmbio, o que é desinflacionário), como há previsão de aumento de juros de 9,5% em 2012 para 10,38% em 2013? Ridículo. Total início de movimento de manipulação de expectativas para obter aumento gratuito de juros, às custas da nossa economia.

    p.s.: texto revisto e ampliado.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui