Duas grandes mentiras da mídia e do mercado contra o cidadão: “salário mínimo é inflacionário” e “terceirizar melhora serviço público”

    55
    0

    É muito importante que você possa perceber a mentira desses dois argumentos que explicarei em poucas palavras aqui.

    Segundo a grande mídia e o mercado (bancos, analista econômicos e financeiros e empresas em geral) “salário mínimo alto é inflacionário” e aumentar o salário mínimo gera inflação. Isto é verdade?

    Bem vejamos, se esta afirmação acima está correta, então, o país que pagar o maior salário mínimo é o país que tem a maior inflação do planeta, certo? Bem, os maiores salário mínimos são europeus, mas a inflação lá é das menores do mundo! Não é interessante?!

    Gente, não vou me estender em banalidade. Isto que explico é simples mas a mentira de que salário mínimo alto é inflacionário está sempre presente. Salário mínimo alto não é inflacionário por si só, pelo contrário é desinflacionário. Por quê? Porque se o salário mínimo é alto, significa que mais pessoas podem comprar e, portanto, pode haver produção maior na economia. As empresas investem mais em produção e uma mesma indústria que produzia 100 mil bens pode produzir 1 milhão de bens. Como seu custo fixo pouco aumenta para aumentar a produção, o mesmo bem pode ser vendido a menor preço!! Aí você tem aqui o que ocorre na Europa, Japão e EUA: escala de produção, todos ganhando salário razoável a bom e preços baixos dos bens e serviços vendidos em sociedade.

    Agora, veja. O aumento do salário mínimo não pode ser grande de uma hora para a outra, pois aí sim teria impacto inflacionário alto em curto prazo com consequências ruins a médio prazo para administração da economia e de inflação. Entretanto o aumento através de política de Estado, como os dois governos Lula fizeram e o governo Dilma continua fazendo é essencial para dar dignidade aos cidadãos brasileiros e para aumentar o mercado interno, ganhar escala de produção para empresas e gerar a diminuição do preço dos bens produzidos e dos serviços fornecidos em sociedade.

    Mas por que a mídia e o mercado propagandeiam que salário mínimo alto e aumento de salário mínimo é inflacionário sem fazer estas ponderações? Porque são empresas amigo, e empresa quer pagar o menor salário possível. Aumento de salário mínimo é diminuição de lucro no curto prazo e a administração da empresa vai ter que explicar isso no fim do ano!!! Não estão nem aí para você, para o pobre, para o cidadão brasileiro e nem mesmo para o seu próprio benefício a médio e longo prazo com um crescimento do mercado interno, pois empresa não pensa em macroeconomia, ela pensa em seus lucros do ano e só.

    Bom desmistificar isso e mostrar que o interesse do cidadão é diferente do interesse de empresa. E que a mídia propagandeia o que interessa primeiramente a empresas e não ao cidadão.

    E sobre a outra “verdade” absoluta de mercado de que “terceirizar serviço público é sempre ótimo”? É verdade mesmo? Por que chegamos a essa conclusão?

    Veja, amigo, mais uma vez você deve ver o seguinte, compare com europeus. Você sabia que o funcionalismo público na França chegou a ser 2/3 a 3/4 de todo o emprego na sociedade há pouco tempo atrás? Você sabia que é o país europeu e talvez de todo o mundo (exceto países comunistas) com maior percentual de servidores públicos por habitante?

    Segundo publicação do Jornal O Globo de 08/06/2010, pg. 21, enquanto Inglaterra tem um servidor para cada 29 habitantes e o Brasil tem um servidor para cada 32 habitantes, a França tem um servidor para cada 12,5 habitantes e a Alemanha tem um servidor para cada 18 habitantes.

    Então, senhores, serviço público não empobrece o Estado ou o cidadão por princípio, pois falamos das duas melhores e maiores ecoonomias da Europa e das melhores e maiores do mundo, com baixa inflação e salário mínimo alto (França e Alemanha).

    E posso ir além. Investir em serviço público, em quantidade e qualidade, com salários bons e atraentes para o cidadão, além de devolver a você em serviços públicos o imposto que você paga, enxuga o mercado de trabalho e obriga a área privada a aumentar salário para manter seus funcionários ou para atraí-los do setor público. Isso portanto te enriquece.

    E mais, se o serviço de educação público é bom, como na Europa, você não precisa colocar obrigatoriamente seus filhos em colégios particulares, economizando seu dinheiro sem impedir o desenvolvimento intelectual de seu filho. As escolas privadas, por outro lado, deverão melhorar seus serviços e/ou baixar preços para manter alunos ou atrair os alunos das escolas públicas. Isso é ruim para você? Não, isso te enriquece em valores e/ou em melhoria de serviços.

    E para finalizar, se o serviço público e gratuito de saúde for bom, além de você ter serviço público pelo imposto que você paga, você pode economizar com plano de saúde para você, seus filhos e seus pais, sem ter ansiedade sobre se eles estão em risco por não ter plano de saúde. Isso também obriga os planos a melhorarem serviços ou a baixarem preços para manter clientes ou atraí-los do serviço público de saúde. Isso é ruim para você? Não.

    Portanto, senhores, por que a mídia não te explica os benefícios do investimento na prestação de serviço público? Porque isso prejudica empresas no curto prazo. Isso te beneficia como cidadão, mas como cria concorrência com a área privada por clientes e por trabalhadores, o mercado e a grande mídia não têm interesse na eficiência da máquina pública. E por isso precisam acabar com a máquina pública ou se apropriar do dinheiro público que gira a máquina pública, então qual é a saída? Terceirizar e privatizar!!!

    Terceirizando e Privatizando tudo o que for possível, mesmo que você não tenha melhorias de serviço por conta disso (ex. Light com bueiros explodindo e Supervia com trens insuficientes qualitativamente e quantitativamente e sem nunca investir dinheiro próprio para expandir malha ferroviária e do metro), a lógica do mercado prevalece: é mais empresa pagando mal a seus funcionários, terceirizando tudo o que for possível para pagar o maior número de salários mínimos possíveis. Elas ainda tiram a concorrência do Estado por clientes e trabalhadores e ainda, de bônus, podem sustentar baixa de impostos (já que há menos servidores públicos a serem remunerados ou serviços a serem mantidos) ao mesmo passo em que se apropriam dos impostos públicos, já que, quando não ganham diretamente do Estado para prestar serviço público (ONGs e Organizações sociais que prestam serviços de educação e saúde em escolas e hospitais públicos), somente se apropriam das receitas públicas (tarifa de energia elétrica e passagens de metrô e trem, p.ex.), deixando, contudo, os investimentos no serviço para o Estado (construção de estações e linhas de trem e metrô, p.ex.).

    A terceirização e privatização pode ser usada de forma estratégica e é importante em alguns casos (foi boa no caso da vale, ótima no caso da CSN e excelente no caso da Embraer), mas a afirmação de que terceirizar tudo melhora serviço público é mentira, te empobrece, enriquece empresas além de o mercado retirar concorrência de serviços que a área pública poderia perpetrar com a área privada para melhorar a qualidade de vida de todos. Precariza ainda seu emprego e, dessa forma, interessa às empresas, ao mercado e à grande mídia, mas não interessa a você, como é apresentado, na forma de um princípio pronto e acabado, como se fosse uma verdade absoluta.

    A vida é mais complexa do que ela parece, não é mesmo? Mas é muito mais complexa ainda do que publicam.

    p.s. – veja também http://perspectivakritica.blogspot.com/2010/09/servico-publico-bem-remunerado-vantagem.html
    Veja ainda http://perspectivakritica.blogspot.com/2011/10/os-tres-maiores-medos-das-grandes.html
    E veja ainda, sobre as causas da situação atual de precáro serviço público e sobre como resolver esta situação em http://perspectivakritica.blogspot.com/2010/07/reconstruindo-o-brasil-reconstruindo-o.html

    p.s. 2 – texto revisto e ampliado

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui