Yoani, Ditadura Política, Escravidão e Embargo Econômico – por Fábio Parada, seguido de comentário do Blog

    161
    0

    Pessoal, o caso Yoani Sanchez está em voga e alguns leitores e seguidores do Blog perguntaram a principio a opinião do BLOG no caso.

    Abro com o email de Fábio Parada, para em seguida tecer curtas linhas sobre o caso, sob a ótica do Blog Perspectiva Crítica.

    “Ditadura política, Escravidão e embargo economômico.

    Inspirado no seu POST os Donos do Brasil.

    Com a vinda de Yoani Sánchez a mídia impinge um sentimento de pejoração à resistência cubana após a Guerra Fria entre os dois grandes mundos como se ainda houvesse divisão. É evidente que governos perpétuos ferem o paradigma na acreditação da democracia, porém, depois de ler um POST de um amigo no Facebook me fez lembrar de um documentário canadense de 2003, baseado no livro de Joel Bakan intitulado “The Corporation: The Pathological Pursuit of Profit and Power” em português apenas “A Corporação” e subtítulo “A busca patológica por lucro e poder” que faz uma análise não somente político economica mas psicológica.

    Achei pertinente, pois vejo a mídia assim como os “hackers” que realizam seus ataques ativando milhares de “zumbis” na grande rede. Basta em uma semana a mídia massificar uma idéia com apenas um lado, com resenhas e editoriais apoiando a visitante e, também, milhares de “zumbis” repetem como foram alimentados com a programação.

    Prefiro não discutir as políticas do Fidel, pois não concordo com todas elas, mas Cuba não é Alcatraz, e, certamente a maioria ainda deve acreditar em Cuba (prefiro falar no país).

    Contudo, Mário taí uma boa reflexão de um contexto sobre Ditaduras tanto capitalistas como socialistas, sobre a semi-escravidão socialista e da escravidão econômica capitalista e os embragos economicos que são claros e os que são obscuros:

    1 – As 40 perguntas que Yoani Sancez não irá responder:

    http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/02/as-40-perguntas-que-yoani-sanchez-nao-ira-responder.html
    e em segunda análise a política macropsico-econômica do neoliberal:

    2- “A CORPORAÇÃO”. São 2:24:04 Hs (reserve seu tempinho):

    http://www.youtube.com/watch?v=H8wwyIpvOtM

    []s,

    Fábio F. Parada”

    Primeiramente, vale a pena acessar o endereço eletrônico do pragmatismo político, no item 1 indicado pelo Fábio, para que você tenha a noção de contraponto sobre a Yoani.

    Dito isto opinamos.

    Senhores, o Blog tem mais interesse em política e economia sob o prisma de o que pode ser feito para aumentar o percentual de participação do cidadão no PIB brasileiro e do Brasil no mercado internacional (atingir crescimento econômico maior do que o dos outros países). O objetivo maior do Blog é aumentar a qualidade de vida do cidadão brasileiro. Aumentar a renda, aumentar o patrimônio das famílias brasileiras.

    Assim, o tema Yoani está um pouco menos direto em relação à principal preocupação do Blog, mas como o tema está muito em voga, com repercussão, ao meu ver grande em demasia, e amigos e leitores estão interessados, teço as seguintes considerações.

    As perguntas feitas à Yoani pelo site (?) “Pragmatismo Político” são interessantes. Mas quem também está por trás do Pragmatismo Político. Ninguém está certo ou errado no caso. Ou talvez todos estejam.

    Alguém financia a Yoani. Nisso eu acredito. Mas se forem os EUA? Não seria natural? Ora, se ela fala mal de Cuba, parece natural. Interessante, claro, seria que a nós fosse dito tudo para não sermos manipulados em relação ao que a senhora Yoani pretende ao dizer suas opiniões sobre seu país natal e sobre o comunismo.

    Mas mais importante é que ela fale livremente aqui e lá. Jovens partidários de esquerda impedirem-na de falar aqui é um absurdo semelhante ao de ela não poder falar de Cuba! Ela pode ser um instrumento de propaganda contra o sistema comunista cubano? Sim. E daí?

    O comunismo é uma idéia fantástica, mas infelizmente não há um exemplo bem sucedido, no sentido de garantir serviços públicos básicos e conforto obtidos em países capitalistas… infelizmente. Talvez por atuação dos capitalistas boicotando os sistemas comunistas? Pelo que já vi e li, não é só isso. Infelizmente o sistema de consumo de massa e o interesse individual em diferenciar-se do outro é algo arraigado na sociedade e desde sempre. O capitalismo só exacerba, mas ele não violenta esse ímpeto humano básico e não honrado, não admirável de nós seres humanos.

    Ao nosso ver, o que se pode fazer é trazer o capitalismo, que é mais eficiente em produzir bens que servirão aos humanos, para uma seara mais humana como as sociedades sociais-democratas da Europa e, melhor ainda, as nórdicas.

    Então, achei ótimo que Yoani tenha conseguido sair de Cuba sem maiores problemas. Isso indica uma aparente melhora na abertura do regime comunista cubano. Entendo que Cuba não estaria nessa miséria de hoje se não fosse o embargo econômico norte-americano, e talvez tivéssemos um exemplo de comunismo bem desenvolvido e com mais acesso à qualidade de vida material que vemos nos países capitalistas. O Brasil sempre defendeu a suspensão do embargo econômico.

    Acho que países financiarem cidadão e Ongs, como ocorre, não deve ser proibido, mas deve ser noticiado, pois evidentemente faz o que se pensar sobre os objetivos de quem está sendo financiado. Isenções políticas, nestes casos são menores. Mas uma blogueira receber divisas para continuar fazendo o que acha correto não é problema algum.

    Não sei se o caso de Yoani é de exercício de uma vocação pessoal, em prol da melhoria de seu País ou se ela foi criada e financiada pela CIA, mas aparentemente isso não altera de imediato a vida do cidadão brasileiro, e é de maior interesse do cidadão cubano.

    É interessante que Madre Teresa de Calcutá não teve apoio financeiro do governo americano, que eu saiba. E Ongs que cuidam de aids na África também não (inclusive os EUA foram o único país a ficar contra a possibilidade de quebra de patente ou fornecimento gratuito de medicamentos para cuidar de Aids na África – Brasil, França e Alemanha toparam mas EUA não). Se tiveram não ficamos sabendo. Seria interessante que governos apoiassem movimentos positivos em torno do globo.

    O fato é que não se pode provar se Yoani é sincera ou não, mas há muitos indícios de que a vida material em Cuba é de penúria. Tive pessoas próximas que foram lá e disseram que todos têm sorrisos lindos e parecem saudáveis, mas que é evidente que são pobres em sua absoluta maioria. Ficaram penalisados.

    Então o que Yoani fala não é novidade e não precisaria que os EUA pagasse. Sua notoriedade foi rápida, mas esses booms de internet também são. Pode ter ocorrido um apoio político e institucional de quem não gosta do governo de Cuba? Acredito. Mas e daí?

    Deixem-na falar. Contrastem-na. Que os jornais façam debates entre ela e outros que apóiam o governo cubano. Liberdade de imprensa e liberdade de opinião é o que interessam nesse tema.

    É claro que me ressinto de não haver quem banque blogueiro norteamericano pobre que fale mal do sistema norteamericano… que mostre fotos de mendigos abandonados pelas ruas de Nova Iorque como eu vi, ou que discuta as causas de meninos americanos regularmente executarem amiguinhos.. mas a mídia não apoiaria, e não daria essa dimensão… é claro que há interesse em volta, mas deixem a moça falar.

    Essa é a posição do Blog: parabenizamos o governo cubano por deixá-la sair. Achamos que o escândalo esquerdista no Brasil está exagerado e até anti-democrático um pouco. E somos a favor da liberdade de opinião e de imprensa.

    p.s. de 26/02/2013 – texto revisto e ampliado.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui