Turn Point do Banco Central: Aumento de juros de 10/07 a 8,5% felicita o mercado e prejudicará a indústria e o comércio

    60
    0

    É, senhores e senhoras… não há mais dúvidas. A decisão de aumentar em outros 0,5% o juros Selic pelo Copom em 10/07/2013 evidencia que a postura do BACEN agora é outra daquela inaugurada em julho de 2011 e que estava em vigor até a reunião de 29/05/2013, quando houve o primeiro aumento de 0,5% na Selic de 2013.

    O Bacen pós julho de 2011, que baixara juros contra a vontade do mercado e proporcionou crescimento econômico e geração de emprego durante dois anos praticamente, com inflação controlada (dentro da meta cheia), não é o atual, apesar do Presidente ser o mesmo. Agora, desde 29/05/2013 o Bacen está preocupado com as manchetes de jornais e com o que o mercado vai falar de sua atuação e coisas do gênero.

    O aumento de 0,5% foi totalmente desnecessário!!! Quero deixar isso claro e isento de dúvidas: o Bacen está aumentando juros quando o IPCA vem caindo desde janeiro de 2013 até junho e com previsão, mesmo antes do aumento de juros de 10/07, de mais queda do índice IPCA para julho!!

    E o que significa isso? Bem, Mantega e Dilma, o comércio e as indústrias devem estar irados e a oposição, bancos e instituições financeiras felizes da vida. Até o fim do ano, o crescimento previsto em 2,5% pode não chegar a 2% com juros de 8,5% e já previstos novos aumentos pela evidente alteração de comportamento do BC. O desemprego começa a ficar aparente na janela do trem Brasil que agora andará bem mais devagar, quando já estava diminuindo velocidade com juros a 8% e a maior safra da história do País chegando às gôndolas dos supermercados.

    E qual a justificativa? Bem, como não há pressão efetiva interna ou externa para a inflação que já caía, o BC não pode dizer que o aumento seria para baixar inflação ou manter tendência de inflação baixa, pois isso, para quem acompanha, já ocorria. A inflação deste ano já seria menor do que a do ano passado. 

    Fica evidente, portanto, que o Bacen adotou postura ultraconservadora com foco recente em alcançar o quanto antes o centro da meta de 4,5%. Parece que não quer mais saber de entregar o centro da meta somente no fim do ano, mas intenta fazê-lo durante todo o ano, para que não tenha mais notícia de que “somados os últimos doze meses a inflação ficou acima do centro da meta”.

    Parece também que o fato de o Governo estar pressionado por gastos pelas demandas sociais apresentadas nas manifestações históricas e espontâneas de talvez dois milhões de pessoas pelo Brasil (somatório de todas as manifestações por todos os dias em que ocorreram no Brasil – ninguém apresentou esse número final que pode ter sido em torno de um milhão) gera a presunção de aumento de gastos pelo governo e portanto pressão inflacionária que deve ser contida. Mas isso é presunção, pois Mantega prometeu entregar 2,3% de superávit no fim do ano e é bem possível, pois 15 bilhões de reais podem chegar somente via licitação de Libra (campo gigante de petróleo na Bacia de Santos). O dólar que aumenta também é fator que deve ter alguma pressão inflacionária, mas quanto?

    De todo lado que você olha, os fatos são deflacionários e a tendência do IPCA é declinante e indicava que não seria necessário aumento de juros para manter tendência deflacionária que já existia. O que justifica aumento de juros é mudança de foco do BACEN de manter tendência de baixa inflacionária para efetuar baixa ao centro da meta inflacionária o quanto antes, aliado ao combate a presunções de pressões inflacionárias. Os motivos para alta de juros são todos presunções: presunção de que o governo não entregará o superávit, presunção de que o governo manipulará dados fiscais sobre dívida, presunção de que a fuga de dólares implicará em inflação. Mas e todos os fatos deflacionários?!?!? Inclusive licitações de campos de petróleo que atraem dólares, desonerações de investimentos estrangeiros produtivos ou financeiros, safra recorde cegando às mesas, famílias brasileiras baixando consumo?!?!

    A fuga de dólares, que ocorreu no mundo todo, fez o BACEN queimar muitos dólares? Sim. Mas quanto? 30 bilhões de dólares? Em 375 bilhões? Menos de 10% das reservas? (ver p.s. abaixo) Isso é motivo para já amarelar e subir juros para atrair dólares?!?! Ainda mais com previsão de licitações de portos e campos de petróleo que sozinhos atrairiam bilhões de dólares?!?!

    E ontem o mercado ainda descobriu que a idéia que se tinha de que o FED pararia de injetar 85 bilhões de dólares por mês na economia americana não se concretizará… rsrsrs quer dizer, os dólares voltaram a circular e investidores a voltarem para as bolsas… nada a ver com o aumento do BACEN!!

    Parabéns Mercado!!! Agora o Bacen é do time do Mercado e não mais dos brasileiros e do País. Os lucros de bancos crescerão. Dinheiro no mercado que poderia ir para investimento produtivo agora é atraído para investimentos financeiros. A poupança que há meses já atraía bilhões e bilhões de reais, atrairá mais. O crescimento econômico irá para o saco e a partir de hoje, senhores… a criação de empregos que estava em 150 mil por mês em média, pode começar a chegar a 30 mil. O desemprego começa a se avizinhar no segundo semestre de 2013.

    Acompanharemos esse Turn Point do Bacen e suas consequências para a vida do brasileiro.

    Na China, inflação é combatida com medidas macroprudenciais, sem elevar juros ou dívida pública. Aqui, a primeira coisa a ser usada é o juros… que crime contra o interesse público. E o pior é que não dá pra tirar o Tombini porque senão parece (e seria, mas a bem do País) intromissão do Governo na política monetária.

    Exagero, ultraconservadorismo e até burrice e non sense, para não se admitir má-fé e comprometimento com lucros de bancos, são as palavras que cabem à alta da Selic em 0,5% procedida pelo BACEN em 10/07/2013.

    p.s. de 13/07/2013 – corrigimos o percentual indicado erroneamente de 1% de queima de dólares das reservas cambiais para 10%. A explicação se encontra nos comentários abaixo. Importante a questão atual de queima de dólares de reservas cambiais para manter valor de dólar. A questão do valor do dólar e da fuga maciça de dólares do País é a grande questão fática que justifica aumento de juros hoje.

    p.s. de 19/07/2013 – Uma pesquisa rápida em artigos de jornal confirma o uso de ao menos 8 bilhões de dólares para conter o dólar entre junho e julho de 2013 em apenas 4 dias, (11, 12 e 20 de junho e 18 de julho), motivo pelo qual estimamos um gasto de 30 bilhões de dólares para os dois meses, até hoje, para analisar o impacto da adminstração da banda cambial nas reservas externas. Veja por exemplo http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-06-20/bc-injeta-quase-us-3-bilhoes-nesta-manha-para-conter-alta-do-dolar

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui