Reforma Política contra investimentos em Transportes, Saúde e Educação

    59
    0

    Senhores e senhoras, o BLOG PERSPECTIVA CRÍTICA denuncia o que entende por subterfúgio dos políticos, do Governo Federal e da mídia empresarial em apagar o tema investimento em saúde, educação e transportes através de massificação do tema Reforma Política.

    A mídia e políticos enaltecem a discussão sobre Reforma Política como se fosse resposta às manifestações nas ruas. Isso é mentira. Todos sabem. As movimentações nas ruas não querem nem saber de políticos ou partidos. A preocupação foi específica e explícita em relação à Saúde, Educação e Transportes Públicos.

    Não obstante esteja sendo salpicada informação sobre medidas em Educação, Saúde e Transportes, principalmente nas versões on line de Jornais da Grande Mídia, a abordagem social, em jornais de papel e televisiva, que alcança a massa da população, é quase exclusivamente sobre a Reforma Política e enaltecendo este “grande movimento político” como resposta às manifestações de rua, no intuito de enaltecer os Movimentos e dizer falsamente que os movimentos de rua estão sendo atendidos. Não estão. Ou não está sendo noticiado que estão sendo atendidas as exigências das manifestações de ruas em todo o País.

    É importante notar que está em curso o embotamento das exigências das ruas. Está em andamento um processo de esvaziamento da pauta colocada pela sociedade. Retira-se o tema Educação, Saúde e Transportes da pauta, falando-se rapidamente e tangencialmente deste problema, não se-lhes-exigindo soluções, abafando a questão, e focam a mídia e os políticos em temas abstratos que não modificarão em nada o cotidiano e a vida das pessoas!!

    Por quê? Porque se se falar mesmo sobre Educação, Saúde e Transportes, o dinheiro do orçamento terá de ser direcionado para a soluçao desses problemas e a mídia empresarial e adepta do Estado Mínimo não pode apoiar um movimento dessa natureza, pois o investimento em Saúde e Educação acabaria com milhares de oportunidades de privatização desses setores por todos os Estados e Municípios do País.

    Para os políticos isso também seria uma desgraça, pois o investimento sério em educação e saúde independeria a população carente das medidas assistencialistas adotadas por eles em todo o País e que lhes garante votos, legislatura após legislatura, e ainda impede a privatização de setores públicos de educação e saúde, o que lhes rende milhões em verba particular (particular não, do Estado pago às Ongs e Organizações Sociais prestadoras de serviços públicos de educação e saúde) que financia suas campanhas.

    A pressão das ruas gerou algumas propostas do governo, mas a mídia não pergunta, não publica e não massifica esses dados e informações, preferindo cobrir a famigerada Reforma Política, que dá azo à discussões abstratas múltiplas, sendo somente este tema uma pauta inteira a gerar discussão social que possa desfocar da discussão que realmente importa ao cidadão que é a definitiva solução da Saúde, Educação e Transporte Público no País.

    A pauta levantada pelas ruas muda a direção de investimentos orçamentários e prejudica o interesse econômico e político de milhares de políticos e empresários pelo Brasil inteiro. Mas essa pauta levantada pelas ruas é a que resolveria problemas graves na prestação de serviço público básico e que nos aproximaria do nível de vida europeu.

    Europeu só paga plano de saúde se quiser. Europeu só paga escola privada a seus filhos se quiser. Europeu tem mais médicos por habitante do que o brasileiro (Brasil tem 1,8 médico por mil habitantes enquanto Inglaterra tem 2,7, Portugal tem 4, Argentina tem 3,7 e a ONU sugere um mínimo de 2 médicos por cada grupo de mil habitantes) e não passa por filas e falta de atendimento crônico como o brasileiro. Europeu tem mais professores e melhor remunerados e, assim, têm a educação de maior nível médio mundial, além de renda per catpita elevada, além de alto índice de inovação tecnológica em sua economia. Além disso tudo, podem economizar milhares de euros anualmente que podem gastar em aquisição de casas, viagens, carros e utensílios domésticos para aumentar seu nível de vida. Enquanto isso o brasileiro deve ralar para conseguir pagar plano de saúde, que não garante sequer atendimento de emergência, porque não pode frequentar (e na verdade quer fugir) do atendimento público de saúde!!!!

    Exijam da mídia empresarial que foque em perseguir os políticos para perguntar sobre saúde e educação. Não é perseguir os políticos do Congresso não, pois o Congresso, além de votar a Lei que garante 25% dos royalties de petróleo para a Saúde e 75% desses royalties para a Educação, nada podem fazer. Persigam os Ministros da Educação, da Saúde e da Integração!! Peçam projetos de valorização do professor e contratação de professores. Perguntem sobre a definitiva implantação de sistema de creches por todo o País!! E perguntem sobre medidas para que cheguem médicos a todos os Estados e Municípios do País, com qualidade que merecemos!! Perguntem sobre como será o estímulo remuneratório para que médicos fiquem no interior!!

    É isso que nos enriquecerá e nos garantirá melhora de vida imediata!!!! Não a discussão estéril e ridícula sobre como será a Reforma Política para que partidos e políticos nos roubem sob novas regras eleitorias e políticas!!!!

    O Blog Perspectiva Crítica denuncia a enganação da população brasileira perpetrada pela Grande Mídia e pelo Governo Federal e todos os políticos que focam na Reforma Política para não apresentarem soluções (e muito menos as executarem) para a questão da Saúde, Educação e Transportes Públicos.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui