Propaganda Homossexual, Efeito contrário e Fernando Haddad

    5
    0

    Pessoal, apesar de ter sido com atraso, Dilma falou bem em relação ao chamado “kit gay”. O objetivo do Estado deve ser informar a sociedade e não admitir propaganda de opção sexual. Também acho que o objetivo das minorias deveria ser em informar à população e desfazer preconceitos e não chocar a sociedade em que vive e agredir aqueles que não compartilham de suas escolhas, pois o efeito dessas ações políticas propagandísticas da opção homossexual (em muitos casos não é nem opção, segundo recentes descobertas genéticas e de desenvolvimento do feto, bem como sobre diferenças biológicas entre homossexuais e heterossexuais homens ou mulheres) pode ser contrário ao desejado.

    De qualquer forma, como em sã consciência pode ter sido feito material de propaganda homossexual para ser veiculado para crianças de 11 anos no Brasil?! Bolsonaro chegou a acusar que o material era para crianças de 6 a oito anos, mas o Jornal O Globo publicou ontem, dia 26/11/2011, que seria para crianças de 11 anos. Isso passa pela cabeça de alguém? Isso é normal? Uma criança de 11 anos tem a capaciade de entender a complexidade desse tipo de escolha? Isso não é algo de foro íntimo?

    Gente, vou falar uma coisa, cadÊ a oposição nestes casos? Eu vejo que as bandeiras politicamente corretas estão se tornando movimentos de mão única e autoritárias… devemos ver isso, inclusive os integrantes das minorias que estão sendo objeto de “tutela” estatal. É de novo o problema da inexistência de um núcleo de valores que possa direcionar os atos dos responsáveis políticos e sociais por essas bandeiras sem gerar exageros e efeitos indesejáveis (ver o artigo “Razões da IntolerÂncia:…”).

    Compartilho com vocês um email que enviei ao meu amigo Fábio quando me perguntou o que eu achava sobre o “kit gay”, quando ele achava um absurdo.

    Vejam:

    “Com certeza está tendo exageros na pretensa defesa das minorias… do jeito que esses temas vem sendo conduzidos há o estímulo à segregação, há a criação de tratamentos anti-isonômicos com o resto da população e daqui a pouco branco, heterossexual que não seja pobre será visto como causa do mal da sociedade!!!! Isso é ridículo…. o respeito às minorias não pode ser desculpa para se desconsiderar outros brasileiros que não sejam integrantes dessas minorias, sob pena de haver preconceito às avessas.

    O erro das abrodagens “protetivas” das minorias está muito inflamado, e está perdendo a medida que o foco que deveria haver seria no combate ao preconceito, seria para tornar a imagem dos representantes dessas minorias mais comum e aceitável socialmente sem preconceito. mas por ser moeda eleitoral fácil, o exagero dessas “ações protetivas” estão adquirindo caráter de confronto social aos parâmetros sociais conservadores e mais comuns, bem como uma afronta à sociedade em seus valores mais antigos e enraizados, além de um embate por espaço social a ser admitido a partir do confronto, com cotas em faculdades e empregos públicos ou privados, com super-exposição dos parâmetros de conduta dessas minorias, em atitude não de congragação, mas de sectarização social.

    Não se está focando esses atos em parâmetros informativos para compreender-se o diferente e se aceitar o diferente. Está se partindo para atitudes de agressão moral, de super-exposição, de tomada de espaço social com base em determinações legais. isso não é construtivo. Se essas ações focassem em difundir a comnpreensão da natureza humana do homossexual, do negro, do judeu, do cigano ou de qualque outro integrante de minoria, seja lá qual fosse (hippies, punks, grunge, artistas, emmo, carecas, baixinhos, gordos, feios… ninguém fala que estes também sofrem preconceitos), a difusão dessa compreensão iria abrir a sociedade naturalmente para vê-los como integrantes da sociedade como qualquer outro.

    Mas não é o que está ocorrendo. Muitas vezes repetindo ações adotadas pela sociedade americana, em função de situações e problemas sociais distintos dos nossos, está se adotando posturas de conflito aberto com o status quo e até mesmo agressivo, o que pode surtir efeito contrário ao almejado e ao invés de aceitação gerar movimentos conservadores de repressão a esse movimento que se apregoa libertário das minorias.”

    Uma coisa que muito me impressiona, meus amigos, é a multiplicidade de coisas esquisitas que estão ocorrendo no Ministério de Educação, mas a oposição nem ninguém, nem mesmo a presidente Dilma faz nada em relação ao Fernando Haddad.

    Os erros tem sido recorrentes e graves no Ministério da Educação e ninguém responde!! Vejam: manipulação de exames do ENEM e atraso de meses no concurso, colocando em risco o sistema do ENEM; admissão de distribuição nacional de livro com erro de português admitido como forma de português a ser ensinado (“nós pega o peixe”); criação de kit propagandístico de opção homossexual para ser distribuído e passado em escolas públicas por todo o País para crianças de 11 anos; e, como se fosse pouco, admissão de inclusão automática de crinaças com deficiÊncia em turmas e escolas regulares de ensino, sem estrutura física ou humana que possa dar conta desta educação fora de ambientes especiais de educação, inclusive com a tentativa de fechamento de institutos seculares de educação especial que são o Instituto Benjamin Constant e o INES!!

    Desculpem-me, mas ninguém vai reclamar com o Ministro da Educação Fernando Haddad?!?!?

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui