Início Mundo Meu Filme Favorito — parte 3

Meu Filme Favorito — parte 3 [por Ciça Ojuara]

367
0

Impressões grapiúnas, por Ciça Ojuara.

Não lembro a primeira vez que fui ao cinema, mas lembro qual foi o filme que me marcou primeiro. Foi um filme brasileiro!

O nome era “A Marvada Carne” e era com a atriz Fernanda Torres. Ela tentava de todo jeito conseguir um marido, chegou até a torturar uma estátua de Santo Antônio, botando de cabeça para baixo. Lembro também de ter visto um filme chamado “A Hora da Estrela” e me lembro que apesar de ser um filme bem triste, me marcou uma fala da personagem principal, a Macabéa, que dizia assim: “Eu quero ser artista de cinema!”

Eu gosto muito de cinema brasileiro! Não entendo a implicância que muitos brasileiros tem do nosso cinema. E ao mesmo tempo há uma cobrança, uma obrigação em ser genial. Não sei se é por ouvir a nossa língua ― que eu acho linda ― e não ter que ler legenda.

Uma paixão que eu tenho é de ir ao cinema, aqueles de Botafogo, da rede Estação. Gosto de ir à tarde, depois da praia. No banheiro mesmo eu lavo o rosto pra tirar o sal, lavo meus óculos e guardo a canga na mochila. Eu vou sem ver a programação, porque sempre tem coisa muito boa. Uma vez, eu assisti praticamente sozinha a uma sessão, acho que tinham no máximo umas três pessoas. Lembro que era um filme argentino, que eu amo também porque leio a legenda só pra confirmar mesmo. Eu entendo um pouquinho de espanhol. O nome do filme era “Cidadão Ilustre” e me emocionou muito porque me lembrou meu pai. Ele também é escritor e é um pouco antissocial.

Eu tive muitas emoções nesse cinema, lembro de que há alguns anos atrás você podia assistir várias sessões direto sem pagar, e me recordo de dois filmes em que fiz isso com outras duas amigas: “Como Água para Chocolate” e “O Piano”. Um filme era sobre um amor impossível e o outro sobre um amor reprimido, mas ambos eram sobre o amor. Eu amo filmes sobre o amor e sobre a esperança!

Amo filmes que me fazem sair da sala escura do cinema com vontade de viver, mesmo que a história seja triste. Adoro sentar e bater papo sobre o filme tomando um café. Eu não sou muito boa em fazer resumo sobre os filmes, sempre estrago e acabo dando spoiler do final. Mas eu tenho uma amiga, o nome dela é Heloísa, ela foi namorada do meu pai. Lembro de adorar ir ao cinema com ela, principalmente para assistir aos que ganharam o Oscar. Ela tem uma incrível capacidade de fazer a síntese dos filmes, a qual admiro muito! Ela também correlaciona o filme com outro, ou com a vida, ou com alguma situação cotidiana, é simplesmente maravilhoso ir ao cinema com ela.

Ir ao cinema é um ato de amor! Você pode ir na sua doce companhia ou na companhia de um parceiro amoroso ou amigo.

Para mim, assistir um filme no cinema é mágico! Não é a mesma coisa ver na TV, por maior que ela seja.

Estar num set de filmagem é uma das coisas mais incríveis que fiz na vida! Eu sou atriz e já estive em alguns. Também já finalizei algumas produções em estúdios de dublagem, que é o trabalho remunerado mais divertido que eu tive a oportunidade e o prazer em fazer.

Agora, o melhor set, sem dúvida, foi o do filme “Ofuscado”, do Leandro Calixto. Procurem por ele no YouTube. Tenho certeza que será uma grata surpresa! Infelizmente não será na sala escura do cinema, mas garanto a vocês que irão gostar!

***

A atriz Ciça Ojuara, pisciana de Itabuna, é legítima representante da morenice da mulher das terras do cacau. A baiana começou sua carreira em Salvador e decidiu partir para a cidade maravilhosa para estudar. Graduada pela UNIRIO em interpretação teatral, Ciça tem uma trajetória artística bastante diversificada pelo teatro, cinema, televisão e internet.

A atriz participou da peça “Capitães de Areia” que ficou 2 anos em cartaz e representou o Brasil em festivais internacionais. Outro sucesso foi a peça “Para romeu e julieta” no Teatro sesc da tijuca em 2016.

Ciça Ojuara participou na TV das novelas “América” e “Beleza Pura” como também atuou em alguns episódios de Linha Direta e da minissérie “Amazônia”.

No cinema a atriz protagonizou o curta “Cordas” de direção de Paula Lousada e foi personagem do curta dirigido por Vítor Medeiros chamado “X-Tudo”. Estes filmes foram selecionados para o Festival Brasileiro de Cinema Universitário em 2012. Ciça também deu um toque especial no premiado filme “Bucaneiro” dirigido por Juliana Milheiro em 2009.

A multifacetada atriz faz duas webséries com o ator e roteirista Guido Brasil : As idéias de sr. e sra. alguém e E depois que match, ambos disponíveis no youtube.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui