Máquina pública vazia: Defensor Público Daniel Macedo informa que faltam 1.226 médicos na rede médica federal no Rio de Janeiro, publica o Globo

    60
    0

    Em mais uma prova de que a máxima “Máquina Pública está inchada” é mentira, o Jornal O Globo publicou o artigo “Sem médico no fim da fila – Estudo da Defensoria Pública diz que faltam 1.226 profissionais nos hospitais federais”, demonstrando que há desestrutura e falta de recursos humanos na administração pública, ou seja, faltam servidores nos hospitais federais do RJ. O artigo foi publicado na página 14 do Jornal O Globo da edição de 18/09/2014.

    Mas essa notícia, que foi publicada pelo Jornal O Globo, não teve sua informação criada por encomenda de pesquisas feitas por bancos, ou pela CNI, ou pela Febraban, ou pelo próprio Jornal O Globo sobre a deficiência de recursos humanos no serviço público federal, como se poderia desejar. Não. Infelizmente essas instituições só fazem pesquisas sobre economia e só focam o interesse em dinheiro e balanços, o que não melhora a vida dos cidadãos brasileiros como diretamente a prestação eficiente de serviços públicos pode fazê-lo.

    As informações que foram objeto desta ótima publicação do Globo foram condensadas por pesquisa do Defensor Público da União e, para o Blog Perspectiva, herói nacional, Daniel Macedo que move ação civil pública para garantir e organizar a realização de 13 mil cirurgias atrasadas há dez anos em hospitais federais.

    Foi, mais uma vez, como sempre ocorre, do trabalho de um servidor público, integrante de uma instituição pública, que saíram as melhores informações para a defesa da qualidade de vida da população brasileira. E o que disse o estudo da Defensoria Pública, coordenada pelo Defensor Público da União Daniel Macedo? Que, a despeito de os jornais de mercado publicarem que há inchaço na máquina pública, faltam, só no Rio de Janeiro 1.226 médicos para garantir atendimento digno à demanda dos 15 milhões de cidadãos fluminenses.

    E qual o motivo para esse esvaziamento? Salários de R$2.200,00, segundo o Sindicato dos Médicos. Gente, vocês acham que um médico vai trabalhar no sistema público para ganhar R$2.200,00? Você quer comprometimento do trabalho desse médico contratado para ganhar esse valor? É óbvio que ele não se dedicará a este trabalho ou não integrará a carreira ou a abandonará!

    No filme “SOS SAÚDE – SICKO” de Michael Moore, há a informação de que o médico público inglês ganha até 180 mil libras anuais!!! Ou seja, em torno de 500 mil reais!! E o médico brasileiro vai ter que ganhar 25 mil reais?!?!?! 1/20 do salário do colega inglês?!?!  Piada!

    A notícia diz que mesmo com essa carência, o último concurso para médicos nos hospitais federais data de 2010. Esse é o nível do descalabro na saúde!! Faltam médicos, mas não se faz concurso. Faz-se concurso? Mas é para que médicos ganhem R$2.200,00 reais.. ridículo. Média de mercado, gente, não é justificativa para média de salário de servidores públicos, pis estes fazem concurso e estão entre os melhores de sua área. Por isso devem ganhar como os melhores de sua área, dentro dos limites do orçamento público, naturalmente.

    Enquanto não houver comprometimento evidente da mídia e dos governos com a melhora da prestação de serviço público, será difícil obrigar o governo a remunerar adequadamente os cargos de médicos públicos federais e fazer respectivas contratações para acabar com essa falta de servidores médicos para tratar da população.

    Como governos e mídia não têm esse compromisso, ainda, o jeito é nós procurarmos fazer movimentos de rua, como o de junho de 2013, pedindo aumento de contratação de servidores e aumento de remuneração de médicos. Pois somente com mais investimento em salários e contratações é que se resolve o DESINCHAÇO DA MÁQUINA PÚBLICA que vivemos.

    Parabéns ao Defensor Público Daniel Macedo! Parabéns à Defensoria Pública da União! E parabéns ao Globo, ao menos por ter publicado a matéria. Esse tipo de publicação, na perspectiva do Blog Perspectiva Crítica, tem o condão de criar debate sobre serviços públicos que podem enriquecer o cidadão brasileiro e melhorar realmente sua qualidade de vida.

    Torcemos que um dia a mídia consiga parar de publicar artigos preconceituosos sobre o serviço público e servidores públicos e passe a focar mais em ambos como um instrumento de realização do bem social, de enriquecimento do cidadão brasileiro, que poderá um dia deixar de pagar plano de saúde se quiser, e como um instrumento de realização das funções do Estado, que afinal é pago com dinheiro público para realizar funções públicas. Investir corretamente no serviço público é o único meio de garantir retorno justo pelo imposto pago ao cidadão. Assim o é na Noruega, na Alemanha e na França. Assim deverá, algum dia, ser no Brasil. Contamos com você, Daniel Macedo. Contamos com você leitor, informando-se corretamente sobre o que realmente é seu interesse em matéria de serviço público, carga tributária e servidores públicos, inclusive sua política de remuneração. E contamos com você também, grande mídia.

    Queremos que a grande mídia um dia opte definitivamente pelo lado do cidadão e não somente o lado de empresas, ong’s, organizações sociais prestadoras de serviços médicos e governos interessados em terceirizar o serviço público médico para se aquinhoar de parte dos valores pagos às cooperativas médicas contratadas pra prestar serviço que o médico público deveria prestar ganhando salário digno.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui