Inflação, juros selic e juros bancários de janeiro de 2014 – a vitória da ala financeira

    29
    0

    Senhores e senhoras, nós sempre dissemos que a realidade sobre os fatos econômicos estão sendo apresentados sob uma perspectiva totalmente financeira, da ala financeira a você, todos os dias, pela grande mídia. E dissemos e dizemos que isso não é a “verdade”, mas uma verdade… uma verdade que não te favorece como cidadão.

    Observe este trecho da coluna econômica de um excelente jornalista do Jornal do Commercio (jornal de muito melhor qualidade na área da análise econômica sob a perspectiva de empresas e do cidadão), Allon Feuerwerker sobre os juros que os bancos nos cobram:

    “O juro extorsivo já recebeu diversas explicações entre nós. Disseram que a coisa melhoraria com a introdução de novos mecanismos legais, como a lei de falências e o cadastro positivo. Aguardam-se os resultados. E convém esperar em posição confortável.
    Outro mantra diz que o brasileiro paga muito juro pois é muito inadimplente. Mas ninguém prova que somos mais caloteiros, na comparação. Eu aposto que é o contrário. O brasileiro tem problemas para pagar as dívidas porque elas custam muito caro.
    E não é que elas custem caro pela dificuldade de cobrá-las. Aqui, sabe-se com precisão que a galinha nasceu antes do ovo. O sujeito fica inadimplente tentando pagar a dívida, e não porque tentou escapar dela.
    É uma encrenca resistente. Parece insolúvel. Só parece, pois outros povos já a resolveram. Mas aqui prefere-se o esconde-esconde. Finge-se que tudo vai bem. A espoliação financeira é apresentada como um dado da natureza.
    Como o sol que nasce e se põe todo dia.”

    E veja este trecho sobre o que ele acha da evolução da inflação e do real prazo que o Bacen tem para entregar o centro da meta da inflação (4,5%):

    “A inflação anda razoavelmente comportada, no teto da meta. Que foi aliás o prometido pelo Banco Central.
    As projeções para 2012 continuam aquecidas, é verdade, mas até o fim do ano que vem o BC tem margem para manobrar. Pois a promessa do BC é que o ritmo dos preços convergirá daqui a doze meses para 4,5%.”

    Acesse a íntegra desta coluna em http://www.jcom.com.br/colunas/137270/Viajar_juntos

    Então observem, quis introduzir o artigo com a opinião de outro especialista conceituado para mostrar a você que é esse o grupo a que pertendce o Blog Perspectiva Crítica.

    A inflação não está descontrolada. A inflação não deve ser entregue mês a mês, mas no final do ano. A inflação também não é a medida acumuladamente nos doze meses anteriores, pois esta não é possível alterar!!!

    Todos estes argumentos que dizemos aqui que não prestam a entender e controlar inflação são utilizados pela grande mídia em seu acervo para assustar a sociedade e fustigar o Banco Central para obter mais juros básicos. Mas há outros meios de controlar a inflação. Além disso, em início de ano sempre há inflação alta pela correção de preços administrados, escolas, serviços e bens de modo geral. Isso é normal.. então por que a maciça notificação na mídia diária sobre aumento de inflação?
    Pergunto mais: e por que a mídia não apresenta o índice de inadimplência de europeus e americanos? Assim poderíamos comparar os juros bancários exigidos de nós sobre esta perspectiva tanto falada pelos bancos como legitimadora de cobrança de juros bancários extorsivos. E por fim.. se a inadimplência é o super item para os nosso juros bancários extorsivos, por que os juros bancários europeus e americanos não passaram os brasileiros durante a crise financeira em que milhões de europeus e americanos ficaram mais do que inadimplentes, mas até falidos?!?!?!?!?

    Mas, não. Você, meu leitor, nunca verá esse questionamento correto e a informação correta sobre inflação e juros selic, nem nunca verá os bancos expostos em sua sanha de cobrar indevidamente juors bancários extorsivos de você, pois a grande mídia é aliada do setor financeiro.

    Se eu consigo deixar isso claro, já resolvi uma grande parcela de sua enganação através de artigos de jornal, inclusive com viés político. Talvez até 50%.

    A publicação do Jornal O Globo de que nossos juros reais são os maiores do mundo e que isso é simplesmente porque há descontrole de gastos públicos  e inflação descontrolada é uma mentira triste e profunda, em evidente aliança acrítica (ou ideológica) com setores da ala financista.

    Veja que o Jornal do Commercio não publicou isso dessa forma. É porque seu compromisso é com a produção e não com bancos. E isso é mais próximo do interesse do cidadão, pois empresas querem controle de inflação, mas com crescimento, com emprego, com renda, para que possam vender seus produtos. Bancos só querem os juros selic e juros reais.

    E são os bancos, apoiados pela grande mídia neste quesito (juros selic, juros bancários e inflação), que estão ganhando. Estão ganhando contra você, contra mim, contra sua família, contra os serviços públicos, e contra a produção e empresas que criam empregos, tributos e renda de todo o País.

    p.s. de 28/01/2014 – texto revisto e rediagramado.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui