INFLAÇÃO DENTRO DA META!! IPCA 0,47% EM MARÇO! TERCEIRA QUEDA CONSECUTIVA DO IPCA!

    20
    0

    É, senhores, por mais que o mercado esteja querendo explorar o estouro de meta inflacionária para trás, ou seja 6,59% nos últimos 12 meses, a verdade veio com o IPCA de Março de 2013: 0,47%!! Esse índice anualizado (para frente, que é o que interessa) gera inflação de menos de 6%.

    E não foi somente esta notícia!! Além de o IPCA ter caído de 0,85% em jan/2013, para 0,60% em fevereiro de 2013 e para os atuais 0,47% em março de 2013, o que para qualquer leigo e analfabeto é queda de inflação (rsrsrsr), Antônio Machado, em sua coluna Brasil S/A, no Jornal de Commercio, informa hoje, em 11/04/2013, que a taxa de dispersão da inflação caiu de 72,33% em fevereiro de 2013 para 69,04% em março de 2013!! Alto, ainda, mas em queda!!

    Com essas notícias, é possível que o apelo desesperado do mercado para aumento de juros dê em água!! Rsrsrsrsrsrsrs Pois não há sentido em aumentar juros com crescimento do PIB lento e com inflação oficial em queda há três meses e com baixa na taxa de dispersão!!

    Além disso, o grande vilão da inflação tem sido os alimentos, por choque de oferta, e outro grande vilão inflacionário, qual seja, a inflação de serviços, ficou em 0,26%!!! Este índice, anualizado para frente dá menos do que o centro da meta, o qual exige índice mensal inflacionário de 0,37%!!

    Então por que o mercado exige aumento de juros? Para que suas previsões pessimistas e exploradoras de janeiro até março de 2013, contra as quais vimos falando sempre durante esses 90 dias, possam ser validadas. É somente isso. A cada mês em que a inflação baixa, suas posturas obtusas a favor do aumento de juros Selic ficam cada vez mais ridículas, irresponsáveis, incongruentes com a realidade e os descredencia em seu trabalho ou ao menos aos olhos da sociedade.

    Tudo o que o mercado quer é aumento de 0,25% quarta feira que vem, para salvar suas previsões erradas e interessadamente pessimistas e poderem justificar a queda da inflação que ocorrerá daqui para frente de qualquer jeito, provavelmente.

    Eu espero sinceramente que o Banco Central não aumente e dê um segundo tapa na cara do mercado, assim como fez em julho de 2011 quando começou a baixar os juros Selic enquanto o mercado histericamente determinava e bradava e pedia aumento de juros Selic.

    Não aumentar a Selic de quarta-feira que vem, ainda será confirmar a postura do BACEN e dar lógica à sua atuação de não aumentar a Selic desde janeiro de 2013, quando a pressão inflacionária era até maior!!

    Nós no Blog vimos que deveriam ser deixados estabilizados os juros Selic e que deveria ser vista a evolução da inflação oficial em março e até abril, antes de se resolver aumentar juros Selic. Delfim Neto e George Vidor falavam na mesma linha. As previsões do Economista Chefe do Credit Suisse, Nilson Teixeira, estão se confirmando (apesar de ainda ser cedo no ano para se afirmar categoricamente isso), assim como as do governo e do BACEN…

    E veja a conclusão na coluna Brasil S/A de Antônio Machado hoje: “É que, preto no branco, há fortes sinais de que a inflação tende a declinar e, assim sendo e apenas por esta ótica, o razoável é esperar para ver como fica”.

    Bem senhores, parece que o BLOG PERSPECTIVA CRÍTICA acerta mais uma vez em ler os fatos econômicos para você, e demonstrar que nos jornais da grande mídia simplesmente as notícias em relação a juros são interessadas, parciais, histéricas, descomprometidas com a realidade prospectiva dos fatos, e que normalmente te levarão a ser surpreendido em relação à boa administração atual da politica de juros e monetária.

    Tenha um bom dia com esta notícia de controle inflacionário e de que as previsões de que a inflação este ano fechará menor do que a de 2012 parecem estar corretas. A inflação se demonstra, por enquanto, sob grande controle!  Não espero aumento de Selic para quarta-feira que vem com as informações que acabei de lhes dar.

    p.s.: A inflação alta do INPC (ver * abaixo)é porque ele é a inflação de pessoas que recebem até cinco salários mínimos e os alimentos pesam muito neste índice. Isso, ao menos, ficou bem informado no Jornal O Globo de hj, pg. 19, em que o tema inflação foi abordado com viés pedinte de aumento de juros Selic. Viés sensacionalista explorando estouro da meta inflacionária pretérita (6,59% nos últimos doze meses), que não tem a importância da taxa e tendência inflacionária prospectiva, que é a inflação que tem que ser controlada e que deve estar dentro da meta em dezembro de 2013. Aliás, o Jornal do Commercio também explorou este viés em manchete, apesar de informar melhor… fiquei decepcionado.. parece que manchetes aterrorizantes realmente vendem mais e o interesse pela verdade informativa é algo elitizado realmente. Uma pena.
    * 19/04/2013 – corrigido o índice. Estava escrito erroneamente IGPM no lugar do índice correto INPC. Apesar de a qualificação do índice no texto já dar esta idéia e de o p.s.3 falar sobre IGPM corretamente, convém a correção, lógico. Desculpem.
    p.s.2: A informação atual é com base no IPCA e taxa de disseminação de inflação de março de 2013 divulgado ontem no final do dia. O artigo anterior teve de ser escrito ontem, em virtude da abordagem massiva do tema na mídia e explorando dados não tão bons  de fevereiro de 2013. A taxa de dispersão de 71% (informada até em 75%), por exemplo estava sendo informada há três dias em entrevista econômica na Globo ou Globonews como se fosse algo recente. Então, criticando as infomações veiculadas, desta vez, a leitura do artigo anterior e este pode dar a impressão de colid^çencia de informação sobre situação inflacionária, mas isto foi criado pela própria grande mídia ao divulgar informações inadequadamente em sociedade, o que é nossa fonte de informação para trabalho. O importante é que a informação deste BLOG apresenta-se sempre coerente e de melhor qualidade do que a que a grande mídia te apresenta. Sempre. É só conferir nossa coerência e nossas previsões e suas confirmações no dia a dia.

    p.s.3: texto revisto.

    p.s. de 13/04/2013 – Importante ressaltar que o IGP-M também caiu três meses consecutivos e se apresenta bem abaixo do centro da meta de 4,5% anual, se anualizado. Segundo informação publicada no artigo intitulado “IGP-M recua para 0,21% e indica desaceleração, publicado no Jornal do Commercio, pg. A-3, datado de 28/03/2013, em janeiro o índice foi de 0,34%, enquanto que fevereiro foi de 0,29% e março de 2013 foi 0,21%!! O acumulado de 12 meses, pra trás passou de 8%, mas como disse, inflação pretérita não interessa, assim como taxa de retorno de investimento pretérito não interessa. Veja o que Salomão Quadros, responsável pelo indicador na FGV, afirmou ante esta evolução do IGP-M: “Nos três primeiros meses deste ano, o IGP tem diminuído continuamente. Podemos perfeitamente imaginar uma trajetória de desaceleração seguindo um caminho mias regular.” Então, senhores, IPCA e IGP-M desaceleram há três meses e as perspectivas para a inflação são de declínio e índices anualizados, em especial o IPCA que é o mais importante e o oficial, dentro da meta do governo. Como o Bacen vai aumentar juros quarta-feira que vem? Não vejo como.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui