Enem e Pisa 2012 e os rankings internacionais de universidades de 2013: o que dizem à educação? Simples: Salário do professor gera qualidade de ensino.

    75
    0

    Tenho de criticar o artigo intitulado “Universidade mal avaliada amplia dimensão da crise”, publicado no quadro “Opinião” do Jornal O Globo de 06/12/2013. Informou mal, tentou colocar  uma espécie de culpa no governo por má gerência de recursos que não seriam aplicados “eficientemente”.. e não falaram, como soe ocorrer, a simples verdade dos fatos. É o que faremos brevemente aqui.

    Gente, observem: o ENEM 2012 demonstrou que as particulares estão na frente das escolas públicas. E o Pisa 2012 mostra que houve grande melhora no ensino e aprendizagem em matemática no Brasil, mas não houve grandes alterações na área particular de ensino, portanto, a diferença deve estar na aplicação e no aumento de verbas para a área de educação na área pública (durante o governo Lula houve destino de 5 bilhões de reais para o Fundeb, que aumenta salário de professores que se especializam e fazem cursos, além de correção de salários – ainda baixos, criação de 214 escolas técnicas, quatro universidades e contratação de professores e servidores par a educação – metade de toda a contratação no governo Lula foi para a educação). E os rankings internacionais de faculdades? Uma realizada para apontar as oitocentas melhores universidades, apontou  somente umas quatro brasileiras (UFRJ, Unicamp, USP e PUC do RJ ou RS – acho que a UFF também estava nesse ranking), dentre elas uma particular. E da lista das melhores faculdades dos emergentes, entre as cem melhores o Brasil somente tinham 4 (USP, UFRJ, Unicamp e Unesp), todas públicas.

    O que há em comum entre os rankings de melhores escolas brasileiras e de melhores universidades? As instituições que apareceram melhor ranqueadas pagam bem seus professores. É simples. Os melhores salários estão nestas instituições em suas áreas. Além claro do sistema de seleção de alunos, este talvez seja menos importante do que a segurança do professor em receber seu salário no fim do mês; e sendo um bom salário.

    Então observe os primeiros colégios do ranking do Enem de 2012 pagam até R$15 mil  a seus professores. E enquanto os professores da UFRJ e USP ganham salários melhores do que a imensa maioria dos professores universitários, uma média de R$10 mil enquanto na área privada essa média pode estar em R$3 mil, os professores públicos ainda recebem religiosamente todo mês seus salários, enquanto muitos professores da área privada têm atrasos de pagamentos de até seis meses!!!!!

    Então, ao contrário do que a mídia de mercado diz, onde está o pulo do gato? Como deve ser feito a “gerência de valores” na educação? Simples: salário de professor alto e garantido de ser pago. Isso que o faz se dedicar ao seu ofício. Isso que o faz ser bom e cada vez melhor para se dedicar aos alunos, ao magistério e direcionar cada vez melhor seus alunos à compreensão e ao aprendizado.

    Então, o resto que disserem diferente disso, é palhaçadinha para criar demanda de serviços privados de auditoria e de substituição de sistema de ensino. Na minha humilde opinião, claro.

    p.s.: algumas informações não publicadas pela grande mídia sobre nossa educação e nosso resultado no PISA 2012:
    1 – Sobre o Pisa 2012, enquanto nós saímos da 300ª colocação para a 58ª, avançando nada menos do que 242 posições, a França perdeu cinco posições, assim como outros países desenvolvidos e ricos. Mas você só verá escrito que entre as cinquenta primeiras nações, estamos nas últimas posições!!! rsrsrsrsr ridículo.
    2 – Sobre os rankings internacionais que demonstram que as universidades públicas ficam à frente de privadas… a grande mídia nada diz ou conclui para a melhora do ensino superior do País… talvez devesse sugerir mais investimento em publicidade em seus jornais, ao invés de aumento de salário de professores e desenvolvimento de garantias para que os professores da área privada também recebessem seus salários… vocês não acham?
    3 – Sobre o ranking do Times Higher Education (THE), sobre as cem melhores universidades dos emergentes, apesar de a grande mídia somente publicar que apenas quatro universidades brasileiras estão no ranking, não comentou que são todas públicas, nem que o Brasil teve o maior número de universidades classificadas na América Latina. o Chile, por exemplo, somente teve duas universidades rankeadas como dentre as cem melhores dos emergentes. Argentina, Venezuela, todos os países latinoamericanos ficaram com menos universidades neste ranking… agora, por que eu tenho que ser o portador desse tipo de notícia a você? Você não poderia estar lendo isso no seu jornal de grande circulação? Pois é. Minhas informações complementares foram obtidas na “Voz do Brasil”.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui