Crítica ao artigo “Fazenda tem de colocar em prática o que diz e cortar gastos” da Míriam em seu blog em 24/08/2011

    24
    0

    Pessoal, transcrevo minha resposta à Miriam em seu blog sobre o tema acessível no seguinte endereço:

    http://oglobo.globo.com/economia/miriam/posts/2011/08/24/fazenda-tem-de-colocar-em-pratica-que-diz-cortar-gastos-400847.asp

    Ela diz que Mantega diz que deve economizar para poder baixar juros mas que está admitindo aumento de gastos com o funcionalismo, ou seja, não cumprindo a promessa de corte.

    Minha resposta:

    “A baixa do juros não depende exclusivamente de corte de gastos, pois inflação de demanda pode ser controlada via medidas macroprudenciais. Aumento de investimento também pode aumentar oferta de produtos em falta no mercado, de forma a amenizar inflação com origem em falta de produtos. E aumento de funcionários pode proteger a atividade econômica brasileira, diante de arrefecimento do pib e da atividade econômica mundial… portanto, Miriam, vamos parar de repetir só o básico e ajudar o país a resolver seus próprios problemas.. que são diferentes dos da europa e dos EUA?”

    Sabe, gente… visão única não dá. Se você não descama as causas da inflação, fica repetindo a mesma receita sempre. Corte de gastos por si só não resolve o problema de país nenhum… se fosse assim, Keynes seria o maior idiota da face da Terra. E foi um dos maiores gênios da economia defendendo investimentos públicos em épocas de pós-guerra, onde nem se sonhava em haver equilíbrio de finanças públicas…

    Não dá para ser bom analista econômico se você só se preocupa com índice de inflação sem verificar outras coisas importantes para o País, como emprego, aumento de arrecadação, diminuição de relação dívida/pib, mesmo com aumento de gasto nominal… fica difícil… se se aumenta gasto nominal, mas há previsão de aumento de receita porque o pib cresce, isso gera queda de endividamento, sem prejudicar emprego.. isso não deve ser computado? Isso está errado?

    Se há problema com preços de alimentos no mundo por condições climáticas e o governo determina formação de estoques maiores no País? Isso gera custo mas pode diminuir a inflação por falta de oferta de alimento… isso é errado?

    Poxa gente.. vamos exigir mais dos analistas econômicos… o pib foi “machadado” à metade do ano passado e os analistas não se preocupam com os efeitos no emprego e na respectiva diminuição de arrecadação… só querem saber do controle inflacionário via juros.. isso é simples.. mas é burro.

    p.s. 26/08/2011 – texto revisto

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui