Início Economia Até o mercado pede que o Banco Central pare da aumentar juros,...

Até o mercado pede que o Banco Central pare da aumentar juros, publica o Jornal O Globo

67
0

Com grande atraso em relação ao Perspectiva Crítica, o mercado financeiro se junta ao coro de especialistas que pedem parada de aumento de juros Selic, por falta de potencialidade em diminuir inflação em proporção maior do que o risco de aumentar o problema do déficit fiscal. Esta notícia foi publicada hoje, 10/11/2015, no Jornal O Globo On Line, sob o título “Analistas pedem que BC pare de aumentar juro” e está acessível no sítio http://oglobo.globo.com/economia/analistas-pedem-que-bc-pare-de-elevar-juro-18006862

Esta notícia está diametralmente oposta ao que a Miriam Leitão publicou há menos de uma semana em sua coluna, quando disse que o Banco Central deveria aumentar juros para chegar o quanto antes na meta de inflação, mas que estava sem rumo porque não aumentou antes e, neste momento, enfrentava o problema de ter inflação sob momento de crise eco0nômica, o que o impediria de tomar a atitude que deveria (aumentar juros, lógico.. pois ela só vê isso..) por receio de prejudicar ainda mais a crise econômica por que passa o Brasil.

A notícia do jornal publicada hoje também está na mesma linha do Blog Perspectiva Crítica, quando afirma que o grande problema para a economia brasileira também é o fraco crescimento da economia chinesa.

Observem bem isso.. como pode o próprio mercado financeiro chegar ao ponto de dizer que os juros não devem mais ser aumentados pois não vale o custo/benefício?! É porque o juros chegou em ponto mais do que exorbitante. E por que o Banco Central não poderia ter chegado a essa conclusão antes? Por que o Banco Central, nossa “desautoridade econômica” é refém do mercado financeiro. O que o mercado falar o Banquinho Central vai lá e faz. Isso não é autoridade monetária; isso é fantoche monetário.

Há quantos anos afirmamos que somente aumento de juros não regulariza inflação de forma eficiente? Nossas posições não mudam, vejam.. ou são mais difíceis de sofrerem temperança porque são bem fundamentadas.. o discurso da mídia e do mercado é mais volátil..

Quem acompanha o Perspectiva Crítica já sabia que a bolha imobiliária estouraria ou esvaziaria a partir de 2013… o que só foi manchete do Jornal O Globo há menos de dois meses. Quem acompanha este Blog já sabe que não é possível obter queda da inflação para o centro da meta esse ano ou no próximo sob pena de sacrificar demais o mercado produtivo e de trabalho brasileiro. Isso porque o tempo também é fator para que se arrefeça o impacto inflacionário da concentração de aumentos de energia elétrica, combustível, alimentos e tarifas administradas pelo governo desse ano de 2015.

Crescimento econômico também não virá sem as famílias diminuírem seus estoques de dívida recém contraída para pagamento de bens duráveis (imóveis e carros), pois até lá elas não terão muito dinheiro para comprar e consumir. Esse crescimento econômico mais forte também é difícil sem a Europa, EUA e China voltarem a crescer. Sem consumidores internos e externos, como a indústria vai produzir? Para quem?

Então, aumentar juros da dívida pública em um ambiente desses é uma imbecilidade monumental porque a inflação continua e só se piora o déficit fiscal, porque aumento de juros gera a aumento de despesas governamentais com o pagamento de mais juros a quem tem título da dívida pública.. mas se não baixa inflação, qual o benefício? Nenhum. Só o de enriquecer bancos.. mas os bancos não querem que o governo chegue a um ponto pré-falimentar.. já estão satisfeitos em receber 500 bilhões de reais anuais com a dívida pública e os juros em 14,25% ao ano… muito mais do que Turquia, Rússia, Ucrânia, Líbano e vários países em estado de guerra pagam.. ridículo..

Chegou-se a esse ponto.. os maiores beneficiários dessa imbecilidade do Banco Central de pagar o maior juros reais do mundo, na frente de países comunistas como a China e países em guerra ou com relação divida/pib maior do que todo o seu próprio PIB (EUA, Itália, Japão..), ou seja os bancos, chegaram ao ponto de pedirem para não receber mais aumentos de juros, porque seu cliente, o Brasil, a continuar assim, pode acabar ficando incapaz de pagar.. os bancos finalmente perceberam que não querem matar a galinha dos ovos de ouro.. agora, talvez, .. rsrs.. o banco central pare de aumentar juros.. e a Miriam Leitão, claro, exímia conhecedora de economia, dirá que o banco Central “não deve aumentar mais os juros”.. é um verdadeiro circo.

Enquanto isso, a China, que controla inflação com depósito compulsório, tem inflação de 2,5% ao ano, juros de nem 5% ao ano e crescimento de 6% ao ano. Sem gerar mais despesas ao Tesouro chinês, a inflação é controlada na base no depósito compulsório, o qual é diminuído para as instituições que pegarem o valor liberado somente se aplicarem em atividades que o banco Chinês diz que merecem investimento, pois são atividades de maior risco e menor retorno, como construção de hidrelétricas, por exemplo. Se o banco não quiser investir nisso, não obtém a liberação do valor extra de depósito compulsório.. assim, para não deixar de ganhar um pouco mais, os bancos que atuam na China aceitam investir em atividades de longo prazo, de menor retorno e maior risco, como agricultura inclusive.

Mas aqui no Brasil, não.. os bancos sofrem depósito compulsório de 5,5% (1/4 do chinês), podem aplicar no que quiserem, recebem juros de 14,25% ao ano aplicando em título da dívida pública, gerando dívida de R$500 bilhões anuais ao nosso Tesouro e ainda não têm qualquer motivo ou estímulo para aplicar em obras ou atividades de longo prazo de retorno mais baixo.. essas atividades são 100% financiadas pelo Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal ou BNDES… sempre o Tesouro ou estatais.. É ou não é imbecil a política monetária no Brasil?

A inflação mais baixa já está contratada para o ano que vem, gente.. a energia elétrica não aumentará 50% e nem o combustível.. também os alimentos podem não sofrer o impacto de 68% de aumento por causa de estiagem.. mas mexer com o clima já é mais difícil… então, o ano de 2015 foi o pior. Por isso, como sempre dissemos, não há menor motivo para aumento de juros. Se a inflação acumulada ficou alta ( aquela do retrovisor), a pra frente, que é a que interessa, está em arrefecimento grande, pois pode chegar à quase a metade a inflação de 2016 em relação à de 2015.

E nesse contexto, os próprios analistas do mercado finalmente pediram que o Banco Central pare de aumentar juros!!! Surreal!! Mas é verdade. Está publicado no Jornal O Globo e, agora, cremos, a ignorância, a subserviência e o exagero do Banco Central deverão diminuir… pelo menos isso. Ficamos intrigados de termos chegado ao ponto de o mercado financeiro se aliar à posição histórica do Blog Perspectiva Crítica contra o aumento abusivos de juros.. mas isso.. até isso aconteceu. Esperemos que os fantoches do Banco Central os ouçam, a bem das contas públicas e de uma retomada mais rápida do crescimento econômico e da criação de empregos no nosso país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui