A prova do roubo de qualidade de vida do brasileiro para pagamento de juros da dívida de forma injustificada

    116
    0
     

    Olhem este excelente gráfico acessível em http://www1.folha.uol.com.br/infograficos/2013/09/31613-da-onde-vem-e-para-onde-vai-o-dinheiro-publico.shtml

    Isso é informação de qualidade. Novamente obtido em endereço da Folha de São Paulo. Parabéns a Mário Kanno e Gustavo Patu da Folhapress, por este gráfico.

    Algumas coisas interessantes saltam aos olhos a partir desses dados. Observe que o Brasil tem como segunda maior despesa pública o juros da dívida, que equivale a 5,7% do PIB e que segundo os dados da mesma pesquisa equivalem a 250,8 bilhões de reais (5,7 x 44 bilhões).

    Esse valor gasto com juros da dívida pública é superior a todo o dinheiro gasto com educação (233,2 bilhões de reais), assim como é superior a tudo gasto com saúde (171,6 bilhões de reais) e a tudo gasto com toda a previdência do setor público (171,6 bilhões de reais).

    Gastamos ainda 19,36 bilhões de reais para manter dignidade a 40 milhões de brasileiros em 2011, com o Programa do Bolsa Família. Ou seja, gastamos 14,25 vezes mais pagando juros da dívida pública do que melhorando a qualidade de vida de cidadãos miseráveis.

    Também o Judiciário, um Poder atacado vilmente pela Grande Mídia durante os útlimos três anos, quando tentou manter salários compatíveis com a complexidade dos cargos de seus servidores para não os perder para a área privada e mais outras 14 carreiras públicas que pagavam mais, gastou, em 2011, 48,4 bilhões de reais. Ou seja, o gasto com distrbuição de Justiça no País inteiro teve um investimento público equivalente a menos de 20% do que se paga de juros da dívida pública. Ou seja, o juros da dívida pública exige um gasto superior em 5,18 vezes o que o Brasil gasta pra distribuir Justiça em todo o País. E você não sabe porque seu processo demora para ser solucionado…

    E esse mesmo valor praticamente é o que o País investe em transporte público, que não te leva de casa para o trabalho e vice-versa com rapidez e conforto, retirando suas horas de lazer, de companhia de sua família, de sono, de exercício físico, de saúde, de paz, e de estudos que você poderia usar para incentivar a sua carreira e, assim,  a economia do Brasil. Não…, mais de cinco vezes esse investimento público em transporte vai para pagamento de juros da dívida pública. Não vai para os transportes.

    Mas a grande mídia reclama do aumento de juros da dívida pública que o Banco Central vem fazendo, aumentando esse valor que só perde para a Previdência Social (que é pago ao trabalhador privado aposentado e que,  aliás, é o dobro do valor pago à Previdência Pública)? Não. A Grande Mídia apóia o aumento de juros da dívida pública. Nunca reclama desse quesito de despesa pública, percebe?

    E há outros meios de se conter a inflação que não seja aumentar os juros da dívda pública? Sim, vários. Eu, que não sou economista (mas sou honesto com você), vou te dizer três meios: (a) aumento de depósito compulsório (a China usa muito isso); (b) aumento da exigência de os bancos utilizarem verbas próprias para cada empréstimo feito; (c) diminuição de prazo para empréstimos concedidos ao consumo.

    Todas essas simples três medidas macroprudenciais esfriam a inflação (e são indicadas pra inflação de falta de oferta), sem aumentar dívida pública.. mas todas diminuem lucro de bancos. Só o aumento do juros da dívida pública aumenta lucro dos bancos, e é somente essa a medida adotada no Brasil para controlar a inflação. É por isso que o juros está a 10,75% e irá, já prevêem os “analistas” para 11,25% até o fim do ano. Veja que 250 bilhões de reais eram pagos em juros da dívida pública em 2011, quando os juros não eram 10,75%. Portanto, talvez os juros sejam hoje a primeira despesa do País, na frente até da Previdêncai Social, diminuindo todo o investimento em todos os serviços públicos disponíveis aos brasileiros.

    E isso, senhores, tendo o Brasil crescido 2,3% em 2013 (mais do que EUA e Europa), tendo o investimento crescido 6,3% em 2013, tendo a agricultura crescido 7,8% em 2013, prevendo-se um aumento de produção de petróleo do Brasil para 2014 em 50% (ver p.s. de 11/04/2014)o que foi produzido até dezembro de 2013, com inflação fechando 2013 em 5,97%, com taxa de desemprego em 5,6% e com superávit primário apresentado ao mercado de 1,9% do PIB. E mesmo assim, ainda perdemos um grau do rating da Standard & Poor’s…

    É senhores… convém anotar esses valores e se entender o que a política de juros no Brasil obriga ao brasileiro ter de aturar em menos serviço público, sem justificativa em se pagar mais por juros da dívida, quando há outros meios menos empobrecedores do brasileiro de se controlar inflação…

    Fica aqui nossa consideração… pagar juros da dívida sim, e sempre… brasileiro paga o que deve.. mas sermos usurpados na nossa qualidade de vida indevidamente.. não!

    p.s. de 27/03/2014 – corrigido o tamanho do gráfico para não avançar sobre outras informações da página. Alteração possível graças à dica de Beto Tupinanmbá.

    p.s. de 11/04/2014 – Corrigida a informação do antepenútlimo parágrafo do artigo. O aumento de produção de petróleo será de 50% em 2014 em relkação a 2013, e não de 30% como antes informado. Somado este aumento, aí sim, o aumento de 2014 significará 33% de toda a produção do ano de 2014. Em números: em 2013 produzimos 1,9 milhão de barris de petróleos diáriso em méida e com as 9 plataformas em produção, em 2014 produziremos 2,9 milhões. Daí os percentuais.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui