A precarização da saúde no setor privado

    4
    0

    Pessoal, isso é muito grave. Compartilho com vocês tema que foi objeto de carta minha a um Deputado Federal como sugestão de projeto de lei para melhora de prestação de serviço médico na área privada.

    Os planos privados estão sendo inchados pela ascenção da clásse média baixa (o que é ótimo sob perspectiva social) e não está havendo regra que obrigue a manutenção de estrutura proporcional à demanda, gerando pagamento de plano e não prestação de serviço médico através do plano de saúde!!!!! A solução é obrigar aos planos a manterem ofertas de leitos, quartos, ctis, enfermarias, médicos e enfermeiros em proporção ao número de segurados do plano de saúde, ou potencial paciente. Essa a sugestão de um médico amigo meu. O mesmo pode ser pensado para hospitais. Deveriam ser obrigados a manter número proporcional de leitos, Utis, enfermarias, médicos e enfermeiros, consoante o número de pacientes, por plano com o qual fecham contrato.

    Esse descasamento entre pacientes/segurados e número de médicos/ctis/quartos/enfermarias está precarizando o serviço médico particular. Eu passei mal e fui ser atendido no Quinta D’Or, há duas semanas, através do plano Unimed. Fiquei 2 horas e 45 minutos e não consegui ser atendido por médico algum. Fui atendido por uma enfermeira depois de uma hora, e aguardei um clínico geral por 1h45min, quando desisti, às 00:00h!!! Se eu me dispusesse a esperar, seria atendido pelo clínico, e depois aguardaria para ser encaminhado para um especialista, o qual, depois, me sugeriria exames, pelos quais eu também aguardaria!!!! Processarei o hospital por negativa de prestação de serviço médico e perda de tempo livre.

    A solução definitiva, para mim é investimento na saúde pública, mas enquanto não vem, regras para tornar viável a prestação de serviço de saúde contratado são necessárias e urgentes!!!

    Também soube que os representantes da Rede D’Or pediram audiÊncia para se encontrar com o Governador Sérgio Cabral para pedir que sejam baixados os salários dos médicos contratados para as UPAs, pois estava acarretando a saída de médicos da área privada.

    Senhores, é isso que digo. Tem que investir na área pública para dar dignidade para o médico e dignidade para o seu atendimento. Ao invés de se reunir com o Governador para pedir baixa do salário do médico público, a área privada deveria diminuir seus lucros e aumentar o salário do médico, concorda? É isso que a área privada mais teme, acompanhada pela mídia que é remunerada por seus anúncios: a concorrÊncia da área pública por profissionais qualificados.

    Fiquem atentos aos seus próprios interesses senhores. Precarização do serviço público é tudo o que a área privada quer, só que quando há ascenção social como houve nesses últimos oito anos, a área privada não se programou para te atender bem e agora quer que o programa de melhora da saúde pública pare para ele não ter de pagar melhor os médicos. Isso interessa a você?!?!

    Sérgio Cabral, continue os investimentos na saúde pública. Não baixe o salário dos médicos das UPAs!!! E mande os representantes da rede D’Or ou outra rede privada de saúde, bem como as seguradoras, aumentarem o salário dos médicos. Nâo me importa o aumento dos planos de saúde (o que se resolve com concorrência na área privada), se eu tiver a opção de ser bem atendido na área pública. Além disso esta área pública é a única saída para pobres, portanto, a recuperação do investimento na saúde pública é essencial para a defesa da cidadania e é a única resposta ética de um governo comprometido com o bem comum.

    ps.: texto revisto, corrigido e ampliado em 10/02/2011, sem qualquer alteração de sentido, como sempre.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui