Comentário e Crítica ao artigo “Um déficit externo histórico”, do Jornal O Globo de 26/04/2014

    56
    0

    Não se pode elogiar.. rsrsrs. Outro dia houve ótimo artigo econômico, elogiado pelo Blog. Mas agora… o artigo publicado hoje, 26/04/2014, no Jornal O Globo, fl. 25, intitulado “Um déficit externo histórico – no 1º tri, rombo soma US$25 bi, o maior desde 1947. Brasil perde competitividade, diz pesquisa.” é um artigo parcial e ruim.

    Entendemos que o jornal deve vender notícia. Entendemos que explorar um sentimento de caos seja algo que catapulta vendas de jornais. Entendemos até que um dos papéis do jornal é de fustigar o governo para que ele seja mais eficiente e se mexa a bem da sociedade. Mas dá pra fazer isso sem dar informações tão parciais e omissas.

    Veja, o artigo diz que o déficit da balança de pagamentos com o exterior acumulado nos três primeiros meses do ano é de 25 bilhões de dólares. e que esse déficit é o pior desde 1947. Mas veja, e o jornal fala nisso rapidamente, “esses números, divulgados ontem pelo BC, consideram balança comercial, balança de serviços e transferências unilaterais, como doações e remessas de lucros”. E mais à frente diz que na balança comercial, veja, a troca de produtos entre o Brasil e exterior, o déficit foi de 6 bilhões de dólares e ainda houve lentidão nas exportações. Quanto houve de remessa de lucros?

    O início de todo ano há grande pressão de remessa de lucros. Nosso problema são mesmo esses 6 bilhões da balança comercial. Temos de agilizar as exportações de nossos produtos. E na balança de serviços, quanto mais financiarmos obras brasileiras no exterior, como o Superporto do Uruguai, o Porto de Mariel, em Cuba, estradas na República Dominicana, pontes e estradas pela América do Sul, mais entrada de divisas no país melhorarão a balança de serviços. Compra de refinarias e indústrias no exterior por brasileiros e empresas brasileiras também criam remessas de lucros para o Brasil…

    E isso desconsidera ainda a questão de que até o fim do ano estaremos exportando safra recorde, e muito mais petróleo do que no ano passado. O Déficit do ano passado teve grande culpa da conta petróleo.. e esse ano será diferente.

    Então, vemos que o artigo foi parcial, indutivo, pouco esclarecedor e omisso.

    Compartilhamos isso com você, leitor. Apesar de todas essas informações servirem de base para o Jornal fazer um bom questionamento sobre a produtividade do Brasil, não achamos que foi o melhor e mais eficiente meio de o fazer.

    Não ponderou o que a área privada poderia fazer para ajudar a melhorar o quadro, não questionou ou ponderou sobre processos para reverter a falta de produtividade que denunciou e ainda utilizou a velha técnica em dizer que “Estudo na consultoria americana Boston Consulting Group (BCG), também divulgado ontem, mostra que o custo da produção no Brasil aumentou nos últimos dez anos, tornando um dos mais caros entre os 25 maiores exportadores mundiais”.

    Veja, e isso é importante, não ouve menção que nos últimos dez anos o Brasil saiu de uma balança de exportação de 107 bilhões de dólares, em fins do governo do PSDB, pra mais de 450 bilhões de dólares.. um crescimento de mais de quatro vezes!!! Com respectivo aumento de arrecadação de impostos e de crescimento econômico e de empregos.. que nos mantiveram com baixa taxa de desemprego, enquanto EUA e Europa sofreram…

    E ainda não pondera que são quantos países exportadores 150? E nós estamos dentre os 25 melhores e maiores exportadores? Isso não é bom? Foi o mesmo que aconteceu com o resultado do PISA de 2013… saímos da 308 posição para 58 em matemática.. aí foi publicado que estávamos em último lugar dos primeiros 58 colocados do exame do PISA. Isso é informar com qualidade? Ou é construir pessimismo, mesmo com grandes realizações? Aí não sobra tempo para nós debatermos questões sérias e o que realmente falta e está errado, porque temos de ficar fazendo contrapontos para elucidar mentiras da mídia para nossos leitores..

    É isso.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui