Três pontos: Petrobrás e recorde de produção, Apagão Elétrico e Apagão logístico (em especial Portos)

    30
    0

    Pessoal, três pontos tão rápidos quanto importantes.

    Petrobrás e Recorde de Produção

    A produção de 300 mil barris de petróleo no pré-sal em 7 anos é indicativo sem precedentes de altíssimo nível de produção em pouco tempo para o pré-sal brasileiro. É recorde absoluto de produção/tempo em reservas petrolíferas em alto mar em todo o mundo!! Explorações no Golfo do México somente apresentaram essa produção depois de 17 anos!! Na Bacia de Campos, somente após 11 anos!! E no Mar do Norte, somente após 9 anos!! Mais do que auspiciosa essa notícia!! Os lucros da Petrobrás, portanto, assim que todas as sondas contratadas tiverem sido entregues e estiverem em operação junto com as “árvores de natal”, gerarão bilhões de dólares à Petrobrás e ao Brasil e aos acionistas. Esse período até 2014 de desvalorização da empresa em curto prazo (já que nos últimos dez anos ela quadriplicou de valor, segundo propaganda corporativa) tem razões de ser (pressão de custos para estar em 30% de todo o pré-sal e controle político de preço de combustíveis), mas o futuro a partir de 2014 parece prometer… Só espero que fiquemos autossuficientes também em derivados e não só em petróleo bruto. E para isso precisamos de ao menos uma ou duas refinarias. Refinarias compradas no exterior são interessantes quando não se tem nenhuma aqui (é mais barato também), mas causam importação de derivados, que impactam a balança comercial do País negativamente. O ideal seria produção de derivados aqui, inclusive com exportação de derivados, e importação de óleo bruto!! Isso seria o melhor dos mundos!!
    Acesse: http://www.petrobras.com.br/pt/noticias/producao-no-pre-sal-alcanca-300-mil-barris-de-petroleo/?page=85

    Apagão Elétrico

    Deixemos claro: não existe apagão elétrico. Apagão elétrico existiu no FHC!! Apagão elétrico foi o blecaute de 65% de toda a eletricidade do Brasil ao mesmo tempo e por horas e horas (o problema ainda se estendeu por meses)!!! Criou o caos. Apaguinhos de uma hora de madrugada em áreas salpicadas e controladas não é apagão elétrico, pois não cria desordem, não cria falta de serviços básicos e nem de continuidade de serviço de hospitais, e é o que acontece desde sempre em vários países europeus, inclusive durante o dia e muitíssimo pior do que ocorre aqui… Sem comparação. Agora, de quem é a culpa? Nesse quesito, senhores, não é do Governo. O Governo está construindo dezenas de hidrelétricas e projeta construir quatro usinas nucleares… mas a mídia apoiou messianicamente todos os movimentos sociais contra a construção de todas estas usinas!! Todas!! Ou seja, a sociedade reage emocionalmente e a mídia não informou a mesma sobre opções.. aí prejudica-se a geração de energia e seu escasseamento gera cobranças da mídia.. é uma grande palhaçada. Não dá pra garantir crescimento de energia suficiente só por eólicas e usinas solares!! A culpa no caso de dificuldade de aumento de oferta de energia não é do Governo mesmo!!! É daqueles que fazem política de bandeira social e politicamente correta de forma intransigente, apoiado pela mídia que está mais preocupada em fustigar o governo  e vender jornal do que ajudar o País a oferecer energia suficiente ao seu futuro. Dá nisso. Precisamos de usinas nucleares. Poucas, mas o mínimo para conseguirmos tornar hígido um pequeno sistema produtivo que nos independa do exterior, tanto tecnologicamente, como militarmente (combustível para o submarino), como para energia elétrica como para medicina nuclear e agricultura nuclerar. Precisamos esgotar nosso potencial hidrelétrico e continuar com a geração energética mais limpa de todo o mundo. Nossa produção (matriz) energética elétrica é 88,8% renovável e a do mundo é 19,5% renovável em média, sendo na OCDE de 17,5%. Isso é por causa de nossas hidrelétricas.
    Acesse: http://www.cartacapital.com.br/carta-verde/fontes-renovaveis-respondem-por-888-da-matriz-energetica-brasileira-diz-estudo/

    Apagão logístico (em especial Portos)

    O apagão logístico, já este é mais por culpa do Governo. Mas também da mídia e da área privada. Não há servidores analistas suficientes para preparar todos os projetos de logísticas (estrada, portos, hidrovias, ferrovias..) ao mesmo tempo. Isso já foi publicado. Mas não se pode contratar servidores e nem melhorar salários (a mídia e a defesa do Estado Mínimo não deixam), o que faz com que continuemos a não ter os servidores que farão os projetos. Prejuízo na expansão da logística.
    Por outro lado, se o governo investe em logística (obras e tal) o jornal cobra cumprimento de superávit primário e diz que o gasto/investimento aumentou demais e é irresponsável. Difícil. Somado a isso, empresas privadas não expandem malhas rodoviárias, ferroviárias e portos!! Não ajudam… só exploraram. E pior, abandonam obras, como as empresas privadas que iriam fazer a metade da transposição do Rio São Francisco, que tiveram de ser substituídas pela Exército, que já tinha feito a primeira metade. Complicado. Então aqui, ao meu ver temos três culpados: Governo, Mídia e Empresas privadas. Esperamos que se acertem, pelo bem do País. Eike batista é o único que cria projetos do nada e impulsiona para expandir logística, como o Porto de Açu em construção. Esperamos que seu exemplo se dissemine entre os grandes empresários e que eles saiam do reboque do governo, que é o que sempre fizeram.
    O caso dos portos é grave. Segundo a informação de uma deputada federal da oposição, Em sete anos o Brasil pode dobrar sua exportação/importação, necessitando do dobro de portos e respectiva logística de escoamento, mas uma licença ambiental para construir portos pode levar 4 anos e a construção de um porto pode levar sete anos!! Dito no programa de rádio “A Hora do Brasil” da semana passada. Isso é grave!!

    p.s.: texto revisto e ampliado.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui