Revista da 1ª quinzena de janeiro de 2012: corrupção no governo, movimentações atípicas do Judiciário,Índices econômicos, Imóveis e Lei das Palmadas

    36
    0

    Pessoal, vários temas interessantes surgiram e o início de ano combina com uma revista ou revisão, pois, afinal, estávamos todos mais interessados nas festas de ano novo, não é mesmo? Mas o mundo não parou por causa disso. Resgato aqui a dívida do blog em relação à quinzena de janeiro e a outros temas que deveriam ser bordados e não puderam ainda o ser por falta de tempo meu.

    Corrupção no governo Federal/queda de ministros – Bem, eu discordo sobre a postura geral de que “a corrupção aumentou” ou de que “isso é o que devia se esperar do governo do PT de José Dirceu”, etc.. Hoje, com três vezes mais policiais federais do que na época do governo anterior ao governo de Lula, há mais estrutura investigativa, inclusive com a CGU que não existia antes. Há mais liberdade da Polícia e a mídia não apóia o Governo Federal. Assim, temos mais publicação de fatos e mais investigação. Isso é bom. Também é bom que todos os Ministros que aparecem acusados pela mídia e não se sustentam são destituídos de seus postos. Portanto, a mídia está correta em divulgar, a polícia está correta em investigar e o Governo de Dilma está correto em inicialmente sustentar ministros acusados, submetê-los aos questionamentos do Congresso e se não responderem adequadamente, em seguida destituí-los. A corrupção deve ser a mesma, só que agora é publicado em jornal.

    Movimentações Atípicas do Judiciário – O valor alardeado de movimentações atípicas é muito alto, principalmente porque movimentado por 3.400 servidores e magistrados. Mas quase tudo ou no mínimo um terço 286 milhões de reais, parece) foi movimentado por um único magistrado ou servidor do Tribunal da Justiça Trabalhista de São Paulo. E, muito mais importante, existem 120 mil servidores do Judiciário do Judiciário Federal no País e muitos mais de todas as Justiças Estaduais e são pouco mais de 13 mil Juízes Federais e Estaduais em todo o País. Portanto, a questão de suspeita de corrupção na Justiça está mito longe de ser generalizada. Calma no enxovalhamento do único Poder da República que pode limitar o Executivo e garantir a indenização do cidadão pelos excessos do Estado e de empresas e cidadãos. Tudo deve ser investigado e esclarecido. Limpar o serviço público de pouquíssimos elementos perniciosos é interessante para o serviço público, é interessante para toda a maioria de honestos servidores e juízes e interessante para o País.(ler p.s. 19/01)

    Reportagem sobre a adulteração de placa eletrônica de bombas de combustíveis pela Rede de Televisão Globo – Excelente a investigação em defesa do mercado de combustíveis e em defesa do consumidor. Os investimentos para a elaboração da matéria que foi ao ar nesta última semana sobre “Cléber” e a venda de placas eletrônicas que fraudam a venda de combustível ao consumidor foi fantástica e é excelente exemplo de que quando a mídia se dedica ao que deve, com honestidade, prodzindo provas concretas de atos supostamente ilícitos ao invés de defender teses interpretativas de fatos sociais, políticos ou econômicos, presta ótimo serviço à comunidade e cumpre sua função relevantíssima social.

    Índices econômicos brasileiros e mundiais – A arrecadação de impostos no Brasil em 2011 chegou a 875 bilhões de reais enquanto em 2010 foi de 635/655 bilhões. O nosso PIB cresceu 3% enquanto economias européias importantes tiveram queda de PIB. Criamos mais de 2.300.000 (dois milhões e trezentos mil) empregos em 2011 enquanto EUA e Europa perderam milhares e milhares (na verdade podem chegar a milhões) de empregos. A política de aumento de salário mínimo foi elogiada por entidades internacionais e indicada como um dos motivos de crescimento do mercado interno. A inflação no País ficou dentro da meta de 6,5%, no limite, mas dentro. Todas as previsões da área privada (Boletim Focus) para 2011 foram desacreditadas. Isso, senhores é para vermos que a verdade é diferente da previsão de mercado e do que a mídia prioriza para publicação. A relação Dívida/pib brasileira é inferior a 36% enquanto as pricipais economias estão entre 85% e 120% (Japão está com 210% de relação dívida/pib). Agora que estamos bem, o que devemos com 875 bilhões de reias e queda de dívida? E mais, o que fazer com o crescimento da arrecadação ano a ano? Podemos ter mais médicos, professores, escolas, hospitais, fiscais, de preferência bem pagos e estimulados? Podemos ter mais investimento nas Defesa Nacional (o equilíbrio de fornecimento da água doce nos EUA, que seja suficiente para sua população, terminará em 2025), aumento de valores de bolsas cientificas e, enfim, mais eficiência e prestação de serviço público do Estado ao cidadão pagante de tributos ao Estado brasileiro?

    “A Privataria Tucana” – Fui um dos felizardos que conseguiu comprar o livro de Amaury Jr, ex-jornalista do jornal Estado de Minas, envolvido (prestou depoimento na Polícia Federal sobre a questão) na quebra de sigilo fiscal da filha de Serra. Bem, parece que a pose de partido depositário final de toda a dignidade do meio político deve cair por terra a baixo. O PSDB já tinha tido problema com Eduardo Azeredo respoondendo no STF e recentemente teve um governador da Região Norte afastado do cargo pela Justiça. Também houve alguns problemas no Estado de São Paulo, mas finalmente (e infelizmente – a esperança de que algum partido é santo alivia a alma e dá esperanças, né?) podemos nos libertar da idéia de que algum grande partido não tenha telhado de vidro. Por enquanto ficam imunes somente o PSOL, o PV e o PPS. O livro vendeu toda a primeira edição em menos de 24 horas. 15.000 livros em 24 horas, sem ter distribuído ordinariamente, já que estava tendo represamento do mercado de livrarias e editoras. Mas parece que a demanda avassaladora libertará a edição e a venda a todos. Não sei se aparecerá na lista de mais vendidos dos Jornais e Revistas…. (rsrsrs). No aguardo.

    Economia e imóveis – A China perdeu mais de 20 bilhões em reservas internacionais. A informação de mercado é que foi por conta de venda de posições de fundos de investimentos. Não consegui saber se meramente financeiro ou imobiliário. A Europa precisa de dinheiro. Seja como saiam os valores estrangeiros da China, se for aquele valor mais especulativo, fazendo movimento lá, pode repeti-lo por aqui, pois as estratégias são globais. Aqui tão movimento de saída seria compensado pelos nossos títulos atrativos, pelo nosso crescimento e pelas nossas instituições mais sólidas do que a da China. Mas pode ser indicativo de secagem de posições arriscadas no exterior para fundos e valores americanos e europeus e isso tenderia a corrigir valores nos mercados emergentes, inclusive no mercado de imóveis. Há outras boas notícias para quem quiser alugar e comprar imoveis no Brasil: a grande valorização gerou interesse em várias construtoras em construir no País e isso também pode gerar concorrência e aumento de oferta de imóveis que baixariam a pressão sobre preços de imóveis. O recente artigo sobre André Esteves na revista “Isto É Dinheiro” e seu investimento no Banco Panamericano, através da instituição financeira BTG, deixou evidente o interesse dos bancos privados em aumentar participação no mercado de financiamento imobiliário. Apesar de pressionar pela demanda de compradores, também facilita construção (oferta) e não muda o fato de que as famílis brasileiras estão muito endividadas e milhares já compraram imóveis e não comprarão outro nos próximos dez anos. Pode estar chegando a vez de quem aluga e de quem quer compar imóveis e não topou ser depauperado na bolha imobiliária criada entre 2008/2011. Os preços de imóveis e aluguéis já começam a ceder. Será que além de preços compatíveis com a renda do brasileiro poderemos esperar imóveis com paredes menos finas e espaços menos semelhantes aos imóveis japoneses? rsrsrsrs Note-se entretanto, que se a diminuição das reservas chinesas fosse por desfazimento de posição chinesa em títulos americanos, a análise seria totalmente diferente e isso seria muito grave. Mas não é essa a notícia que circula.

    Lei da Palmada – Mais uma evidência da inutilidade e da palhaçada dos nossos políticos àvidos em aparecer com uma bandeira fácil eleitoreira. Senhores, o crime de maus tratos já é tipificado no Código Penal desde sempre e existem os Conselhos Tutelares. Qualquer um pode denunciar abuso contra crianças, mas lei impedindo pai de dar palmada é uma intromissão na particularidade da vida da família, pois existe criança impossível e dar limites (sem machucar e espancar ou fazer qualquer coisa que constitua maus tratos) é questão privada da família, obrigação dos pais e um direito da criança para aprender limites sociais. Até parece que toda criança é suscetível ao convencimento puramente argumentativo. E pergunto, se uma criança se tornar marginal ou viciada, aqueles que impediram as “palmadas”, ajudarão a cuidar dessa criança para amenizar os sofrimentos dos pais que tiveram limitações legais para educá-la? Este é mais um capítulo ridículo da série Temas Fáceis Eleitoreiros da Ditadura do Politicamente Correto. Essa é minha opinião.

    p.s. 17/01/2012 – revisto e ampliado

    p.s. 19/01/2012 – Corrigindo a menção ao Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo para Tribunal de Justiça de São Paulo. E atualizando: as últimas informações mais precisas, a partir da dimensão da publicadidade que o caso “movimentações atípicas” obteve, restou corrigida pela mídia a informação: não foram mais de 3.000 servidores e magistrados, mas foram mais de 3.000 movimentações atípicas no valor total de R$850 milhões de reais, dos quais parece que toda a movimentação referente ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro em torno de R$256 milhões foi realizada por um único servidor e/ou magistrado que passou em concurso mas antes era doleiro (dono de casa de câmbio ou funcionário em casa de câmbio). Parece que os demais 2/3 de toda a movimentação atípica do Judiciário também foi realizada por um número menor de servidores e/ou magistrados do que o inicialmente comunicado, e ainda não se sabe quantas movimentações seriam ilegais. Pelo menos assim já se ameniza um enxovalhamento da imagem do Judiciário, mas o resgate da imagem nunca é proporcional ao dano já deflagrado pela pressa e irresponsabilidade informativa da mídia ávida por publicar tudo o que puder contra o Judiciário do País. Dessa vez o Judiciário, que costuma julgar a mídia pelos excessos de informação divulgada irresponsavelmente contra instituições honestas e pessoas de moral ilibada (lembre-se a Escola paulista e todos os professores que foram acusados irresponsavelmente de pedofilia!) agora sentiram na pele o mesmo tratamento. Experiência interessante. Aguardamos o deslinde da questão.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui