O spread bancário brasileiro é 15 a 6 vezes maior do que o estrangeiro!!

    37
    0

    Finalmente saiu esta informação. Nem acredito que chegamos neste ponto. Isso indica que o lobby financeiro está admitindo descer a níveis internacionais suas práticas comerciais no Brasil.

    O Jornal o Globo de hoje, 27.9.2012, na página 25, no artigo intitulado “Juro recua; calote, não”, publicou as seguintes palavras do vice-presidente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac), Miguel Oliveira:

    “É fato que nunca tivemos juros tão baixos, mas ainda há muito espaço para cair, porque, enquanto no Brasil o spread bancário (diferença entre o custo do dinheiro para a instituição financeira e para o cliente) é de quase 30 pontos percentuais, nos outros países, está entre dois e cinco pontos percentuais.”

    Pessoal, isso é fantástico. Não só a informação do nível do rouba a que você é submetido por instituições financeiras há anos e anos, mas o fato de que foi publicada essa notícia. Depois não se sabe porque o acesso a bens de consumo é tão difícil… depois não se sabe porque a vida é mais fácil para europeus na europa e americanos nos EUA do que para brasileiros no Brasil…

    Não é só a carga tributária que pesa sobre os ombros dos trabalhadores, mas o nível do lucro das atividades empresariais e financeiras também é peso para os trabalhadores que pagam alta margens de lucro. O gasto com serviços privados que poderiam ser prestados pela esfera pública tmabém é prejuízo para a qualidade de vida do cidadão brasileiro. Mas esta notícia é paradigmática.

    Jà havia sido publicado há pouco tempo pelo Jornal O Globo que os lucros das indústrias de carros e montadoras no Brasil é três vezes (ou 300%) superior ao lucro das mesmas indústrias e montadoras no exterior. Isso foi ótimo, para trazer à pauta de debate social a discussão sobre a normalidade (ou melhor, anormalidade) do mercado econômico brasileiro. Lucros exorbitantes também compõem o Custo Brasil.

    E agora vemos a infomação publicadad e que nossos bancos nos espoliam, cobrando hoje, quando os juros bancários estão no menor patamar histórico (!!!!), entre 600% e 1.500% a mais do que os bancos estrangieors cobram de seus concidadãos!!

    Isso é um absurdo!!! Isso é o cúmulo do absurdo!! É importante que você se indigne com isso!! Somente um governo social-democrata (de verdade, claro… não o PSDB da configuraçaõ de hoje) ou de esquerda, comprometido com a diminuição da desigualdade social e a repartição da riqueza nacional entre ricos e pobres (e classe média, claro) para tomar medidas que ataquem esse mal social, legitimado pela desastrosa aplicação ilegítima de “defesa de livre comércio e livre concorrência de mercado”.

    Infelizmente a avaliação de como chegamos a este nível absurdo deveria ficar para outro arttigo, e o Estado brasileiro, quebrado financeiramente após as crises de petróleo de 1973, 1979 e 1981, tem boa parcela desta culpa, pois para se manter (e rolar suas dívidas) teve de tomar muito dinheiro disponível dos bancos privados e da poupança nacional, a juros altos, estimulando os bancos a empresatarem para o Estado ao invés de emprestar para as pessoas. Também não tinha interesse em intervir na relação de empréstimo entre pessoas e bancos, pois não tinha interesse em desestimular empréstimos a si próprio.

    Agora com o Estado equilibrado financeiramente e sem desespero por financiamentos de sua dívida, o Estado pode, com vontade política de enfrentar o lobby financeiro, avaliar e influir sobre esta situação esdrúxula que existe no mercado financeiro brasileiro.

    O primeiro passo para a normalização deste elemento no Custo Brasil é a divulgaçao do problema. O Jornal O Globo, com uma publicação dessa, evidencia das duas, uma: ou o lobby financeiro brasileiro entende que já não dá muito mais para sustentar essa cobrança abusiva e liberou a grande mídia para publicar matéria neste sentido (não determinou tais publicações, mas não se oporia mais a tai publicações), ou o Jornal O Globo está com uma linha mais ao centro, publicando matéria de interesse público, mesmo contra o interesse do grande e forte lobby financeiro brasileiro.

    Fico muito feliz com a publicação. Parabenizo o Globo pela divulgação deste dado importantíssimo. Quero crer que a publicação se deve ao renovado compromisso da maior organização de comunicaçao brasileira com o interesse público e com o interesse nacional, a bem do desenvolvimento da economia a partir de legítimas e salutares parâmetros de operação financeira no Brasil, inclusive a adequação do elemento “spread bancário”.

    A verificação de alteração da postura da edição do Globo, é simples… é só acompanhar as próximas edições, dia a dia, semana a semana, mês a mês, ano a ano. É o que faremos. Erros serão sempre apontados, seja de conteúdo, seja de forma de pub licação, seja de viés adotado. Acertos serão sempre enaltecidos. E sou ávido por elogiar acertos mais do que por apontar erros.

    A publicação comentada abre margem para a normalização do spread bancário brasileiro que sempre foi extorsivo (como admitido pelo FMI a pouco tempo e divulgado no Blog) no Brasil, assim como sempre foi combatido pelo Blog Perspectiva Crítica.  

    Por hoje, fique com essa informação: VOCÊ PAGA HOJE, NO MENOR PATAMAR HISTÓRICO DE JUROS BANCÁRIOS NO BRASIL, ENTRE 600% E 1.500% MAIS DO QUE UM EUROPEU OU AMERICANO A SEUS BANCOS.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui