Início Opinião Freixo ou Crivella?!?! Considerações do Perspectiva Crítica para o pleito para Prefeito...

Freixo ou Crivella?!?! Considerações do Perspectiva Crítica para o pleito para Prefeito do Rio de Janeiro em 2016

116
0
Rio de Janeiro, 28.10.2016 - DEBATE TV GLOBO PREFEITURA RIO DE JANEIRO - Os candidatos Marcelo Freixo do PSOL (esq) e Marcelo Crivella PRB posam para fotos no auditorio da TV Globo no Projac em Curicica - Foto Daniel Ramalho/VEJA

Pessoal, primeiro de tudo: não existe voto certo ou errado. Ponto. Não se discute mais isso. A forma como o brasileiro vem discutindo política, refletindo o ódio que os jornais impulsionam contra tais pessoas e tais partidos tem que parar.

O processo político pressupõe o debate sobre ideias, programas de governo oferecidos pelos partidos e candidatos e eleição, dentro das estreitas opções que temos em cada pleito.

Depois de eleito, os que nele não votaram não são perdedores do processo eleitoral. Mas o eleito consubstancia a concretização, a materialização do vontade popular que, em um amálgama disforme e multifacetado, terminou por eleger. É o retrato de um momento. E todos temos de torcer para que o cara faça bom governo, pois os prejudicados seríamos nós mesmos, caso isso não ocorra. E lá na frente, no próximo pleito, o embate ideológico entre o que foi feito versus o que poderia ter sido feito, aliado ao confronto entre novos programas de governo, que são apresentados por partidos e por seus novos candidatos, repetirá o debate sobre as opções estreitas que teremos de fazer e, novamente, o amálgama social gerará outro eleito, que governará a todos. Isso é o processo político. É a isso que se chama de democracia.

Então, não há opção errada. Para nós do Blog Perspectiva Crítica há opções que se apresentam melhores, por tais prismas, e piores, por tais prismas, e o balanço entre o que de melhor e de pior há em cada candidato dá o norte para que o eleitor se convença que, em tal momento, a melhor (ou menos pior.. rs) opção seja tal e qual candidato.

E hoje, em 10/10/2016, analisando nossos dois candidatos a prefeito para o segundo turno no Município do Rio de Janeiro temos de chegar a alguma conclusão, por mais que seja duro escolher entre Crivella e Freixo para o cidadão médio.

Não fizemos isso no primeiro turno, mas foi porque muitas coisas aconteceram na vida do Blogger e prejudicou um pouco a produção desses últimos três meses.. rsrsrs. E estava muito complicado fazer boas considerações para o grupo completo de candidatos, então, preferimos deixar o eleitor e leitor seguirem sem nossas considerações, já que elas não podiam ser dadas de forma adequada em relação a todos os candidatos, ou ao menos em relação aos mais bem apontados pelas pesquisas como depositários da confiança do eleitor.

O prazo de propaganda eleitoral também foi curto e a pouca exposição de todos dificultou a sedimentação que consideramos mínima sobre impressões nossas em relação a cada candidato e seus programas de governo, além de suas posturas pessoais defendendo suas idéias e seus programas. Isso dificulta a análise e uma abordagem adequada do Blog sobre eles, motivo pelo qual, para fazer mal ou parcialmente feito preferimos não fazer.

Agora, no segundo turno é diferente. São apenas dois candidatos. São somente dois programas e duas pessoas a serem analisadas. A qualidade da informação sobre ambos é melhor para efeito de abordagem e comparação. Assim, faremos agora a análise com propriedade, em termos sintéticos.

Iniciaremos com uma mensagem de Facebook que mandamos a amigos, em meio à tal discussão: Freixo ou Crivella? Amigos criticavam a opinião do Blogger, com ressalvas, favorável ao candidato Freixo porque ele seria um radical de esquerda, em suma.. rsrs. Havia a acusação, também, de que o Blogger “apoiou e defendeu o Lula e a Dilma”, como forma de desconstituir a sua capacidade como eleitor.. rsrsrs. Como todos os que votaram em Lula e Dilma conhecem essa realidade de enxovalhamento pelos amigos (rsrsrs), fica garantido o ambiente em meio ao qual foi lançada a resposta do Blogger.

Importante notar que isso é um comportamento cultural do brasileiro na nossa recente democracia: você vota, se seu eleito vence, você se sente vencedor e os que nele não votaram se sentem perdedores. Se o eleito for bem, você pessoalmente intensifica sua autoridade de escolha, na mesma  proporção da medida em que os não eleitores se sentem tristes e deprimidos pelo sucesso daquele que ele não elegeu…rsrsrs. Mas se seu eleito cometer falhas, você eleitor é tratado como o pessoal culpado e a autoridade moral se inverte, você sendo escurraçado por sua incompetência em não ter visto o risco em tal eleição; e o que nele não votou vira um ícone de visão e ciência, praticamente com dom de premonição… rsrsrsrsr (nossa sociedade é demais!! rsrsrs Novela mexicana pura!1 rsrsrs).

É assim… e assim foi com Lula e Dilma… e assim foi com Collor e FHC, que quase vendeu a Petrobrás. Ninguém vê pelo simples lado de que houve a eleição e alguém foi eleito; o processo político o elegeu. Se o eleito for bem, bom para todos. Se o eleito for mal e se for corrupto, ele traiu seus eleitores, a confiança do País, traiu o objetivo do processo político, e teremos de escolher outro em nova eleição. Simples assim. Mas. enfim.. é isso…. ou melhor dizendo, nõa é isso que fazemos. Rsrs.    

Aí a mensagem aos interlocutores do Facebook pessoal do Blogger (com correções de digitação e com melhor apresetnação do texto):

Gente, me desculpa, mas as opções são: Crivella com apoio da Universal e do Garotinho ou Freixo com apoio da Jandira Feghali e PT. Eu não errei com o PT. O PT errou comigo e com o país, por isso perdeu 2/3 de cidades e de eleitores. Freixo tem esse problema de falar de golpe e Maduro… ele tem esse problema.

O que isso influi na máquina administrativa da Prefeitura? O orçamento municipal está a mínguas, então ele não pode estatizar nada. Ele não terá apoio do governo estadual ou municipal, então ele não poderá gastar nada e nem fazer muitas obras. Aliás, o RJ recebeu muita verba para obras por causa das olimpíadas e não creio que terá preferência de nada com Freixo ou Crivella. Então só sobra para ele fiscalizar licitações públicas e melhorar o serviço público.

O PT roubou? Isso nada quer dizer que o Freixo, do PSOL, vá fazer isso. Não vejo a lógica. Acho muito pelo contrário. O único mal que Freixo pode fazer é a ele mesmo, se mandar mal no governo municipal. A ele e ao que resta de uma esquerda no RJ.

Por outro lado, o Garotinho e a Universal estão com Crivella e ambos nós sabemos que têm fama ruim de se apropriar de bens alheios e de se aproveitarem da fé alheia e fazer contratos esquisitos com cooperativas, enfim..

Parece-me que o risco com o Freixo é menor, mas entendo quem o odeie por mera cor partidária ou doutrina filosófico-partidária. Se vocês acham que Crivella é boa escolha e melhor que Freixo, vão fundo. Agora, não me venham com a fácil e covarde opção de nulo ou branco. Isso é passar a responsabilidade e o debate para os outros.”

Freixo gostaria de aumentar trem e diminuir ônibus. Eu concordo com isso. Freixo arriscou a vida acusando mais de 250 milicianos, então acho que tem coragem para enfrentar outras máfias, inclusive dos ônibus.. E Crivella? Não vejo potencial de mudança de alguma coisa ali. Vejo uma mesmice. Vejo uma fadiga e falta de entusiasmo. Mas é claro que eu posso estar errado… mas é só argumentar em contrário. Piada é não tecer três frases de argumento e consideração pelas opções que faz e se achar no direito de julgar a opinião dos outros ou dizer que vai votar nulo. Para mim isso é piada.”

Ficam aqui simples considerações que acho suficientes para a hipótese. Freixo fala sobre golpe… gosta do Maduro.. e é um cara inteligente.. eu sei que ele sabe dos erros e abusos do PT e de Maduro.. mas, como sou de centro-esquerda, sei ler como ele pensa. Ele pensa que PT e Maduro são a esquerda no poder e que, se eles erram, a direita também erra; e, erro por erro, é melhor ficar com o projeto de esquerda. É assim que ele pensa.

Agora, ele não pode transformar, na nossa opinião, o Município do Rio de Janeiro em bunker do “Fora Temer”… rsrsrs. Duvido que faça isso. Seria muita burrice. Mas e se fizer?!?! Estará queimado para o grande eleitorado!! Então, a oportunidade com Freixo é única para quem vota na esquerda e quem vota na direita. Por quê? Porque para os de esqueerda, verão a prática administrativa de seus escolhidos prediletos de tal vertente partidária, com todos os benefícios em melhora de serviços públicos e implantação de projetos de diminuiçlão de desigualmente social e respeito a minorias e à produção cultural, com atenção á educação e saúde e combate a estruturas oligárquicas de poder encrustradas desde sempre nos governos municipais.

E para os de direita? Também é, porque o Estado está falido. Ninguém que chegue à Prefeitura conseguirá dinheiro mesmo. Então são 4 anos perdidos para investimentos. E ele quererá aumentar IPTU de alguém? Mas ele não pode fazer nada se não for aprovado pela Câmara dos Vereadores… e o que não faltará será oposição lá.. rsrsrs Talvez seja o primeiro governo municipal com oposição na Câmara, a qual normalmente está toda no bolso e nos cargos do governo municipal.

Neste quadro, que prejuízo o Freixo, como Prefeito, se mal quisto pelo governo estadual e federal, pode prejudicar o RJ? Pouco. E prejudicar os cidadãos? Pequena a possibilidade. Mas ele tem uma enorme possibilidade de combater as máfias da saúde, de licitações, de obras de transportes… o governo dele pode até apagar o lava jato!! Talvez o maior preocupado com a eleição de Freixo seja o Sérgio Moro!! AUAHUAHAUHAU Ele pode sair das manchetes por bom tempo! É um risco bom de correr.

E o risco com o Crivella? Para nós, ele não tem potencial de mudar status quo. Vai combater máfia de quê? Vai colocar pessoas ligadas a Garotinho e Universal na máquina da Prefeitura? Vai fazer o quê? “Melhorar a saúde”? Eu não creio. Só se melhora a saúde investindo dinheiro e efetuando revisão de gestão na Saúde e se combatendo o roubo e desvio de verbas, medicamentos e próteses pela máfia da saúde. Crivella vai fazer isso? Duvido. Mas ele é mais político.. Ótimo. Mas político para quê, se não há o que se obter em verba do Estado e da União Federal para obras? Pois é…

O RJ foi beneficiado por todo tipo de obra para as Olimpíadas, Paralimpíadas e para a Copa do Mundo. Não seremos prioridade para investimentos de verbas estaduais e federais por um tempo. O Estado até está rescindidndo ou suspendendo alguns contratos de financiamentos internacionais por falta de verba para pagar as prestações. Então, qual o risco prático de não votar no Crivella? Pequeníssimo ou nulo, a nosso ver.

Então, para nós do Blog Perspectiva Crítica, desde que o Freixo pare de falar em golpe (rsrsrs), ele é a melhor escolha para Prefeito do RJ nesse pleito de 2016.

Mas um analista de cenários amigo meu, altamente conceituado, que trabalha em uma grande instituição de pesquisa renomada, afirma que, respondendo à minha apreensão sobre a eventual incapacidade de Freixo para ser político e saber dialogar com o parlamento, com a oposição e criar coalizão para emplacar projetos (mas isso o limitará a se focar em rever dívidas, contratos, licitações, e gerir hospitais, serviços e servidores públicos), “Freixo não sabe montar coalizão para governar. Vai tentar democracia direta e atropelar a Câmara (dos Vereadores). Digo que está eleito o Crivella…Campanha vai ser fraca. Já disseram que Freixo está só preparando terreno para 2018. Ele iria para governo do Rio somente se o Rio (hoje) for para o buraco. Mas seria mais provável de ele se candidatar ao Senado. Lindbergh tá morto com o PT. E Crivella vai deixar o posto (de Senador) vago para virar Prefeito. Tem duas vagas para o Senado abertas (para o Rio de Janeiro).”

Bem, talvez seja por isso que o Freixo não se importe em falar besteiras sobre “golpe” em praça pública. Meu amigo é bom em análises.. rsrsrsrs.

Vamos ver.  

p.s. de 11/10/2016 – Texto revisto e ampliado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui