Finalmente a verdade da situação fiscal brasileira

    215
    0

    Finalmente o Globo publicou um artigo claro, honesto, e com todas as informações básicas e necessárias para que tenhamos idéia da excelente situação fiscal do nosso País.

    Fico feliz em aconselhar a leitura do artigo intitulado “Superávit primário quase dobra e chega a 3,99% do PIB no primeiro semestre, diz BC”, publicado hoje no Jornal o Globo On Line. Acesse http://oglobo.globo.com/economia/mat/2011/07/29/superavit-primario-quase-dobra-chega-3-99-do-pib-no-primeiro-semestre-diz-bc-925004141.asp

    Esses dados eram passados homeopaticamente, em contexto normalmente deturpado, com péssimo nível informativo e quase sempre concluindo situações contrárias a que os números indicavam: “descontrole de contas públicas” e “pressão inflacionária”.

    Junto com essas informações sempre acompanhava a ladainha de que inexiste capacidade financeira do Estado brasileiro para investir em serviços públicos, contratação de funcionários, de professores, de médicos e impossibilidade de estruturar as carreiras públicas e melhorar sua remuneração para atrair cada vez mais e melhores servidores públicos e um dia, quem sabe, podermos viver em ambiente semelhante ao que o europeu, sem muitas vezes ter um país rico como o nosso, vive.

    Os dados verdadeiros fiscais nossos, em julho de 2011, são esses:

    1 – Dívida líquida brasileira (relação dívida/pib líquida): 39,7%

    2 – Dívida bruta brasileira (relação dívida/pib bruta): 55,7%

    3 – Economia acumulada pelo Governo no 1º sem/2011: R$78,190 bilhões ou 3,99% do PIB (isso é 85% maior do que a economia feita pelo govenro em 2010 para o mesmo período e é superior à meta de 3,1% de superávit para o ano de 2011)

    4 – O governo já fez 66% de toda a economia de superávit primário para todo esse ano de 2011, estando mais de 30% além da meta.

    Agora te pergunto: isso aconteceu do dia para a noite? As publicações não eram de que o Estado estava gastador, “inchado”, com descontrole de gastos e etc, etc?

    Tudo mentira, gente. Nós denunciávamos aqui isso.

    Finalmente a verdade. Desejamos que o Jornal O Globo continue neste sentido. Hoje, na minha opinião, o Jornal do Commercio e o Jornal O Globo publicam dados e notícias sobre o mesmo País.

    Leiam o artigo indicado. Está ótimo e informativo.

    p.s.: Acabei de ver que na verdade, a chamada da página principal do Globo On Line é “Governo quase dobra economia para pagar juros”… portanto, considero o artigo não tão informativo como inicialmente apregoado, eis que este título dá impressão negativa, ao meu ver, sobre o fato real e publicado no corpo do artigo que é de total controle fiscal e riqueza/pujança do orçamento brasileiro. O título a que me refiro no início do artigo (“Superávit primário quase dobra e chega a 3,99% do PIB no primeiro semestre, diz BC”) está como subtítulo, na página principal do jornal on line. Quando você clica nele, o subtítulo vira o título do artigo, quando este é mostrado. A dessociação entre o título do artigo e o conteúdo é elemento de evidente indução do leitor, diminuindo o teor informativo e a compreensão sobre a informação publicada. Mas para quem não se deixa influenciar pelo título, que parece dar a idéia de que as contas do governo estão mal e precisam de economia extra para pagamento de dívida, a leitura do conteúdo revela a verdade de um excelente controle fiscal e de ótimos números das contas do governo.

    p.s. 25/08/2011 – Só um detalhe curioso. O artigo é da Reuters. Parabéns à Reuters. A publicação é do Globo. Neste tocante, parabéns ao Globo. Mas o título que questionei no “p.s.” acima só era visível on line naquele dia, na página principal de chamada do artigo e era criação do Globo. Que vergonha, Globo. Ao menos, na publicação do Jornal em papel no dia seguinte foram publicados o título compatível e o artigo da Reuters. Menos mal. Veja como a guerra entre a verdadeira informação e a indução é dinâmica! Ia escrever isso antes, mas não deu.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui