Desrespeito de fabricantes estrangeiros ao brasileiro: a extorsão dos bens de consumo. Caso IPhone 5S, PS4, planos de saúde e concessionárias de carros.

    44
    0

    Senhores, esse Blog concorda com a liberdade de mercado, assim como a livre iniciativa e a liberdade econômica, inclusive como prevista e insculpida na nossa Constituição da República. Entretanto, esse Blog é veemente contra o abuso e o desrespeito ao consumidor praticado no Brasil e contra brasileiros.

    O aumento de renda do brasileiro está causando um furor extorsivo em diversos seguimentos de prestadores de serviços que demonstram estarem pondo em prática o limite de seu direito em obter lucros em suas operações. Há esse limite?

    A princípio não há, dentro de um ambiente capitalista, equilibrado com vários fornecedores de produtos e serviços semelhantes em que estes fornecedores não se coordenam em cartéis e outras formas de organização que impedem a livre concorrência.

    Mas quando num ambiente de livre mercado há abuso de prática de preços, o lado do consumidor deve fazer sua parte, para evitar ser espoliado e fazer funcionar, inclusive, as próprias leis de mercado.

    Mas hoje, parece que isso não está funcionando bem e o Blog Perspectiva Crítica quer denunciar o mecanismo que impede essa ação da parte do consumidor que seria, em condições normais de temperatura e pressão, negar-se a comprar o produto ou serviço caro e procurar produto semelhante mais barato. Este fenômeno é a filosofia e cultura consumista da realização da pessoa através de produtos que possui e que são maciçamente propagandeados como diferenciadores de seres humanos. É o marketing! Nõa se renda ao marketing! Entenda o marketing e veja que alguns produtos e serviços às vezes não valem o preço que estão exigindo de você!!

    É revoltante e um desrespeito o que a Sony está exigindo dos brasileiros pelo PS4, por exemplo. R$4.000,00?!?!?! Enquanto nos EUA ele sai a US$499,00?!?! Gente, isso autoriza no máximo o custo de R$2.000,00 a R$2.200,00 pelo mesmo console no Brasil!! O resto é espoliação pura! O resto é se aproveitar do fato de que ter um PS 3 ou 4 virou uma demonstração de status. Mas isso é um desrespeito ao seu dinheiro e um desrespeito ao brasileiro!! POrque o americano paga 500 dólares e você tem que pagar dois mil dólares?!?!? Você não se indigna com isso?!?! Então não compre!!  Fique com o PS 3 ou compre outro console que nõa esteja te desrespeitando e te roubando!!

    As empresas que fazem isso demonstram, ao meu ver, desrespeito ao consumidor brasileiro e desrespeito e desconsideração com seu público!!

    Mas este meio de valorizar o próprio produto está se generalizndo em face do aumento de re4nda do brasileiro e do acesso a produtos a que antes não tinha. As empresas estão testando limites de preços e você e sua consciência pessoal e respeito por seu próprio dinheiro são os únicos que podem equalizar esse absurdo!!

    Em um mercado normal os produtos baixam de preço para vender em quantidade, atingir mais consumidores, popularizar-se e criar base de clientes maior. Aqui está acontecendo um momneto atípico e que não está ocorrendo em outros países. O mercado está se aproveitando do Brasil e de uma característica que espero seja passageira em que o brasileiro está disposto a pagar qualquer coisa para ter bens que o diferenciem em sociedade e que demonstrem que ele é algo a mais do que ele crê que seja. É minha visão. Neste compasso, demonstradores explícitos são necessários e o mercado está abusando desta necessidade social de extravazamento consumista e realização de identidade social que possa ser percebida superficial e imediatamente por outros cidadãos, com base de fundamento em propagandas e marketing.

    Marketing e propaganda são bons e necessários. Você se render a uma imagem por elas explorada é que não é bom pra você, para a sociedade ou para o mercado. Eu sei que para o perfil dos leitores desse Blog esse alerta é certamente desnecessário, mas faço mesmo assim: ninguém é obrigado a comprar nada! A busca por manter-se em sintonia imediata com lançamentos de empresas da moda te empobrecem.

    Observe outro caso. O Iphone 5S parece que será vendido a R$3.600,00. Gente, o que é isso?!?! Um celular a R$3.600,00?!?!? Você não consegue ver que isso é um absurdo e surreal?!?! Quanto é no país de origem? Isso é a aposta em que o brasileiro pagará isso para realizar-se em sociedade através do produto. Por que você deve chancelar isso? E mais.. assim que você comprar esse celular, se é para se realizar através do produto, essa realização durará um ano no máximo, pois virá o Iphone 6 a R$4 mil reais!!! E você vai ficar alimentando essa palhaçada?!?!? Com o dinheiro do seu trabalho?!?! O sistema do Iphone é melhor do que de outros smartphones, o gráfico é ótimo e a máquina fotográfica é demais. Concordo. Mas vale esse dinheiro? Eu acho que não.

    O mesmo se diga dos preços das roupas da Osklen.. se bem que a qualidade do produto é tão absurdo que essa loja brasileira até justifica seus preços… mas uma T-shirt por R$200,00?!?!? Eu não pago.

    Observe… você tem que chegar em um momento e dizer: ” esse produto não vale esse preço”. Se você não fizer isso, você é culpado por uma escalada de preços de produtos de consumo burra e que te empobrece, prejudica o mecanismo de livre mercado e livre concorrência e somente beneficia empresas, sem poder nunca, nunca se realizar como consumidor de última hora, ou no “topo da cadeia consumista”, pois o mercado criará outro topo e você será um infeliz eterno, ansioso por se espremer para consumir o último produto a qualquer preço para “se realizar socialmente através dele”. Isso é triste e mostra que você se desvia de coisas mais importantes e que te definem como ser humano.

    Não entre nesse jogo. Veja que estão te explorando. Não compre produtos e serviços em que abusam de você, pois o movimento de abuso de preços é um ressonante anúncio de que a empresa que te extorque está te considerando otário!!! Não é outra coisa.

    Saiba que um alto executivo de uma empresa de telefonia, europeu, uma vez questionado sobre o porquê de ganhando mais de 30 mil reais por mês, há cinco anos atrás, não comprava uma SUV de R$120.000,00 ou R$160.000,00 como todos os demais, respondeu: ” Eu não pago mais de R$90 mil reais em carro nenhum. Não vale. Não sei como vocês brasileiros pagam.”.

    Então, senhores, vocês que estão pagando ou querendo pagar essas exorbitâncias, além de estarem prejudicando o mercado e chancelando uma política de marketing que te empobrece, ainda é considerado otário no exterior!!!!

    As concessionários e fabricantes de carro no Brasil, saibam vocês, lucram três vezes mais do auqe na Europa e EUA.. e depois não se sabe porque o carro aqui é tão caro. A carga tributária é maior? Sim. Mas o lucro também afeta preço, ou não? E as empresas não estão ajudando o consumidor, né?

    Eu lembro quando um Tiguan valia R$160 mil. Pararam de comprar e caiu para R$110 mil. E continua vendendo. Então ele nunca valeu R$160 mil. Mas otários o compraram a esse preço!! Entendeu?!?! Tem coisa que não vale o valor!!!!!

    Plano de saúde, graças a Deus e ao governo, está sendo enquadrado, mas a prática de preços exorbitantes, especialmente a idosos, deriva do fato não somente de custos, mas de que em algum momento o direito à saúde virou produto de mercado e realização pessoal através do plano. Seu plano é Dix ou Amil?!?! Se é dix, por mais que seja um plano semelhante a algum plano da Amil, não te dá status algum… isso não é pensar em saúde, mas em venda de produtos (empresa) e ostentação (consumidor).

    Deixamos aqui nossa contribuição para a defesa de seu dinheiro, para a defesa da imagem do consumidor brasileiro, e para a defesa do sistema de freio e contrapesos do livre mercado, que inclui o consumidor consciente.

    Compre com consciência. Não pague preços exorbitantes por produtos que não valem tal valor.

    O dia em que brasileiro entrar em fila de shopping para comprar a última novidade da Apple ou da Sony como os retardados americanos costumam fazer, comemorando que foi “agraciado por Deus” em ter conseguido a última novidade dessas empresas… aí senhores, terei vergonha de ser brasileiro!!

    Que nosso país deixe o amor à novidades de consumo para as pessoas que não têm valor interior, que não tem familiares para quem se dedicarem e nem amigos com quem dividir emoções mais verdadeiras. Consumo estéril (* ver p.s. de 09/03/2014), impensado, irracional e movido a modinha imediata que não pode esperar o próximo lançamento, .. senhores e senhoras, deixem para quem realmente não tem o que acrescentar a si e aos seus. Os bens materiais e de consumo existem para nos servir e não nós a eles. Isso é básico. mas na vida em sociedade de hoje parece que é exceção.. e pior.. parece que é errado.

    p.s.: alterado ainda em 22/11. O Blog não se dedica a artigos sobre comportamento, mas o abuso das empresas de bens de consumo está em tal nível que é importante haver uma crítica séria para reflexão dos valores em nossa sociedade. Abs a todos.

    p.s. de 23/11/2013 – texto revisado.

    p.s. de 09/03/2014 – texto revisado e corrigido por Marcela. Realmente não era consumo “estéreo” (penúltimo parágrafo), apesar de o consumo atual ser tão gritante que talvez possa ser considerado estéreo (rsrsrsrsrs)… o correto é consumo estéril. Corrigido.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui