Causa da tragédia do ônibus que caiu do viaduto no RJ: falta de servidores públicos – ver pág. 14 Jornal O Globo de 05/04/2013

    46
    0

    Bem senhores, só no Jornal O Globo de 05/04/2013 há duas notíticas sobre prejuízos de prestaçaõde serviço público à população por falta de funcionários públicos. Deixe sublinhar: FALTAM FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS E A POPULAÇÃO SOFRE POR ISSO!!!

    Na página 14 do Jornal O Globo de hoje, 05/04/2013, o ótimo artigo intitulado “A Secretaria precisa ter pelo menos 3 vezes mais fiscais” indica que não é feita fiscalização adequada dos ônibus e motoristas que servem a população do Rio de Janeiro, pois a secretaria responsável conta com 40 fiscais pra fiscalizar ônibus, táxis e vans.

    O Professor do Departamento de Transportes da Uerj e ex-presidente da extinta SMTU, José de Oliveira Guerra, responde sobre a pergunta realizada pelo O Globo sobre se 40 fiscais par tudo esse trabalho seria suficiente: “Esse número é irrisório. Cidades com população menor do que o Rio contam com mais fiscais.”

    Resultado? Nôa existem agentes fiscais suficientes para multar as empresas de ônibus e nem verificar as condições de veículos e desvios de conduta, o que gera a impunidade das empresas de ônibus e a liberalidade de contratação e manutenção de pessoas sem condições, resultado em acidentes, morte de passageiros e pessoas aleijadas!!!

    Esse é o resultado de não se contratar mais 80 fiscais!!! A salário ridículo, diga-se de passagem. Vale a pena? Alguém questiona a existência de servidores públicos em quantidade suficiente para prestar o serviço público? Não. Só na tragédia. Isso é comprometimento com a melhora da prestação do serviço público, com a integridade de seus familiares, com  amelhora de qualidade de vida do brasileiro? Não. Só quem faz isso pra você é o BLOG PERSPECTIVA CRÍTICA!

    No mesmo Jornal O Globo de hoje, 05/04/2013, na fl. 11, foi publicado no artigo intitulado “Médicos relatam a Dilma caos em hospitais”, O presidente da Federação de Médicos, Geraldo Ferreira Filho, comenta sobre a reunião que teve com a Presidente da República sobre a situação dos hospitais federais. Preste atenção em suas palavras publicadas e veja a confirmação do que o BLOG PERSPECTIVA CRÍTICA publica há quase três anos sobre baixa remuneração e fatla de servidores públicos para atender o Brasil:

    “Falamos da degradação da rede de hospitais federais, mais marcadamente no Rio, onde se transformaram em verdadeiras pocilgas humanas e não têm a menor condição de dar atendimento à população. Reputamos isso à perda de recursos humanos ao longo de anos pelo achatamento salarial e pela perda de gratificações.”

    Bom, senhores e senhoras, o que acham? Nós sempre falamos isso. Servidor público não tem sequer a reposição inflacionária anual prevista na Constituição Federal, e quando tem, é acumulado, depois de anos de perdas e ainda é chamado pela mídia de aumento, desinformando a população e provocando a ira do cidadão contra o servidor público que receberia “aumentos acima da inflação”.

    Veja o resultado da mentira dos jornais, da sua desinformação, e da mentira de “inchaço do serviço público” e de “salários fantásticos do funcionalismo público”: degradação da estrutura de prestação de serviço público ao cidadão e morte de indivíduos e prejuízo ao cidadão.

    Sabe quantos funcionários a Defesa Civil do RJ tinha na Serra pra cuidar de enchentes como a que matou centenas de pessoas naquele verão fatídico de 2012? 5 (cinco). Isso mesmo, cinco!! Para monitorar riscos civis como o do caso da enchente, cujas informações técnicas do risco da enchente chegaram, mas não tinha gente suficiente para analisa-las in loco e tomar as medidas!!! Isso foi publicado!! e nós já escrevemos artigo sobre isso intitulado “Defesa do Estado Mínimo causa mortes”.

    Faltam professores? O Estado de Minas abriu concurso para 30 mil professores? O Município do Rj abriu concurso para 2 mil médicos? Por quê? Porque o salário é ridículo e ninguém quer ser professor ou médico do Estado!!! É simples… mas o Globo faz entrevistas com “especialistas” que apontam que se deve incentivar a “vocação para o magistério” e mostrar o “amor em ensinar as novas gerações”.

    Pergunto: vocação e amor pagam prestação de carro e casa? Vocação e amor pagam plano de saúde de seus filhos? Daí você vê que o que é publicado sobre prestação de serviço público é a maior palhaçada do mundo! É o descomprometimento com a qualidade de vida do brasileiro e sua família!! E o condena e a seus familiares a não ter prestação de serviço público básico de saúde e educação de qualidade, assim como segurança e fiscalização de serviços públicos, gerando até perdas de vidas por todo o País!!!

    Isso nunca será publicado dessa forma! Haverá, como houve hoje, sempre publicações isoladas de falta de servidores, a cada tragédia. Mas com abordagem geral de que há inchaço da máquina pública e que não pode haver aumento de salário e nem defesa de reajuste inflacionário do salário do servidor público. Pois isso degrada o serviço público, facilita a defesa de privatização e transforma os salários de servidores públicos, que são integrantes de suas famílias e da família de brasileiros, pessoas físicas, em receitas para empresas que terceirizarão os serviços públicos, garantindo o avanço das empresas sobre o PIB brasileiro em contraste com o empobrecimento do cidadão.

    Enquanto isso, o Banco do Brasil, com funcionáriossuficientes e salário não irrisório, é o maior banco do Brasil com altos lucros. O mesmo se diga da CEF. O mesmo se diga do BNDES. Faltam pessoas para esses bancos públicos? Há cargos sem estarem ocupados e eles penam para preenche-los ao lançarem editais? Não. O mesmo se diga da Petrobrás. O mesmo se diga da melhor Rede Hospitalar do Brasil que é talvez a melhor da América Latina: Rede Pública Sarah Kubitscheck. O mesmo se diga do Banco Central e da Receita Federal.

    Todos esses que acabei de citar são excelentes prestadores de serviço público à população e o que têm em comum? Salários bons e cargos preenchidos com bons profissionais que foram para lá atrás dos salários bons e que ficarão por lá enquanto houver salários bons.

    Por outro lado, o que esse grupo de empresas e órgãos estatais eficientes têm de diferente em relação aos órgãos estatais e empresas estatais não eficientes? Os órgãos estatais não eficientes oferecem salários irrisórios e não têm servidores suficientes (lógico) para prestarem serviço à população. É o caso da fiscalização de ônibus, da Defesa Civil na Serra, da educação pública e da rede médica regular pública.

    E para quem diz que contratar servidor é ruim, digo mais: a paz ao Rio de Janeiro só foi possível depois de aumentarem o número de policiais militares de 17 mil para 30 mil e mesmo assim passarem a contratar novos recrutas para cada UPP criada. O Rio de Janeiro passou a ser destino de investimentos empresariais, alvo de valorização excessiva imobiliária, e cresceu a economia durante tal período, criando empregos e uma das menores taxas de desemprego do País, com aumento de renda média superior à média brasileira. Valeu a pena?

    Salário digno do servidor público e quantidade de servidores suficientes melhoram sua qualidade de vida e garante prestação de serviço público em quantidade e qualidade para você e seu familiar. Mas você não verá essa abordagem em jornal nenhum, a não ser neste BLOG e blogs sociais que se preocupam exclusivamente com o cidadão e sua família.

    A verdade que te interessa, cidadão, você só vê publicada aqui no BLOG PERSPECTIVA CRÍTICA.

    É isso.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui